05/06/2019 às 08h00min - Atualizada em 05/06/2019 às 08h00min

Franquia X-Men encerra um ciclo

Filme estrelado por Sophie Turner chega às telas de cinema na quinta-feira (6)

DA REDAÇÃO COM FOLHAPRESS
Sophie Turner vive a Fênix Negra (Divulgação)
Uma estreia que já chega com uma certa melancolia. Em abril passado o presidente do Walt Disney Studios, Alan Horn, informou durante apresentação no CinemaCon, em Las Vegas, que o filme "X-men: Fênix Negra" marca a despedida da franquia.

De acordo com site CBM, Horn afirmou que "Fênix Negra" será "a saída perfeita para a nossa equipe de X-Men" e o "capítulo final" para o mundo dos X-Men.

O filme já estava engatilhado quando a Disney anunciou a compra de parte da Fox, detentora da saga, em 2017.

O longa chega nesta quinta-feira (6) aos cinemas brasileiros. Jean Grey (Sophie Turner) é atingida por uma força cósmica durante uma missão no espaço e adquire poderes incríveis. De volta à Terra, coisas ruins começam a acontecer ao redor de Jean, que se torna uma ameaça.

Para a atriz, que sentiu muito poderosa ao interpretar a personagem, fazer o filme foi desafiador. "Eu descobri muitas coisas que não sabia que eu tinha em mim e acabei descobrindo na Jean também."

Diante dos fãs brasileiros, durante a CCXP, em dezembro do ano passado em São Paulo, Sophie Turner ficou entusiasmada com a receptividade dos brasileiros. Ao lado da colega Jessica Chastian e do diretor Simon Kinberg, ela foi o grande destaque do painel da Fox no maior evento de cultura pop brasileira.

Durante o painel ela afirmou que Jean foi o papel mais desafiador de sua carreira. “Jean está diferente nesse filme. Ela está consciente de seus poderes, mas isso não necessariamente lhe trouxe paz de espírito”. Ela também elogiou a trilha sonora do filme, que é ambientado nos anos 90.

Além do painel, as atrizes apareceram no espaço da fox onde sortearam pôsteres autografados e convidaram os fãs para assistirem à produção.

DEPRESSÃO

Aos 23 anos, Sophie Turner admitiu, no início de abril, que lidou com uma carga horária alta de trabalho com o fim de "Game of Thrones" e que pretendia se recolher nos próximos meses. Mas não foi só a série medieval que acabou com a saúde mental da atriz. Sophie conta que sofreu pressão dos estúdios para perder peso, quando ela já lutava contra a depressão.

"Todo o mundo precisa de um terapeuta, especialmente quando pessoas dizem constantemente que você não é boa o suficiente, que não parece bonita o bastante", contou a atriz durante uma entrevista à revista “Marie Claire” australiana. "É importante ter alguém para falar sobre isso e te ajudar a passar por questões como essa."

Sophie disse que o marido Joe Jonas a ajudou muito na luta contra a depressão. "Quando alguém diz que te ama todos os dias, faz com que a gente se ame também", afirma a atriz, que após o casamento passou a assinar Sophie Belinda Jonas.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »