18/11/2018 às 07h55min - Atualizada em 18/11/2018 às 07h55min

Médicos querem ampliar cirurgia contra impotência

Técnica criada para atender pacientes com câncer de próstata agora será usada em diabéticos

FOLHAPRESS

Médicos da Universidade Estadual Paulista (Unesp) querem ampliar para diabéticos e pacientes que fraturaram a bacia uma cirurgia inovadora que criaram para reverter a impotência sexual de homens que tiveram câncer de próstata. A diabetes e a fratura da bacia estão entre as principais causas da disfunção erétil, segundo o grupo de pesquisadores. Inicialmente, a técnica foi desenvolvida por professores da Faculdade de Medicina de Botucatu em homens que extraíram a próstata em razão do câncer.

Os resultados são positivos. Para diabéticos e fraturados da bacia, os profissionais querem recrutar voluntários e, assim, realizar os estudos. A técnica consiste em retirar um pedaço de cerca de 30 centímetros de um nervo de cada perna, dividi-los em quatro pedaços de 15 centímetros cada e fazer enxertos para ligar o nervo peniano, restabelecendo os nervos responsáveis pela ereção. De acordo com o urologista José Carlos Souza Trindade, coordenador do trabalho, os efeitos colaterais são baixos e compensam os ganhos. "Ao retiramos o nervo da perna do paciente (nervo sural), ele fica com a face lateral do pé como se estivesse um pouco anestesiada. Mas é algo leve", afirma o médico. "Ao voltar a ter uma vida sexual ativa e recuperar a autoestima, o paciente nem se importa com esse baixo efeito colateral", diz o urologista.

RESULTADOS

A nova técnica começou a ser aplicada em pacientes sem a próstata em 2011. Até agora, foram cerca de 50 homens operados, voluntários de vários estados do país que foram a Botucatu para passar pelo procedimento. De acordo com Trindade, análise recente do grupo mostrou que 60% dos pacientes tiveram melhora completa, com retomada da ereção e penetração em média 13 meses após a cirurgia. Os outros 40% vêm apresentando sinais de recuperação. O avanço representado pela técnica foi tanto que os médicos já ganharam vários prêmios, e ela foi reconhecida no Jornal Britânico de Urologia Internacional.

68 MIL CASOS DE CÂNCER EM 2018

Estimativas apontam que o Brasil terá 68.220 novos casos de câncer de próstata em 2018. Esse número corresponde a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens. O câncer de próstata, tema da campanha Novembro Azul, é a segunda causa de morte por câncer em homens no país. Existem alguns fatores que podem aumentar as chances de desenvolver o câncer de próstata. Entre eles estão a idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos. Outros fatores são o histórico familiar e a obesidade. O tratamento pode ser feito de diversas maneiras. A mais comum é a cirurgia, em conjunto com radioterapia e tratamento hormonal. (LC)

Notícias Relacionadas »
Comentários »