11/02/2018 às 05h31min - Atualizada em 11/02/2018 às 05h31min

Atenção aos sintomas da meningite C

Transmissão acontece no contato próximo com pessoas pelas vias respiratórias

FOLHAPRESS | SÃO PAULO

Mais predominante no Brasil a meningite C é uma doença transmitida pelo ar e merece atenção especial. Os sintomas podem facilmente ser confundidos com uma simples virose. Em casos mais extremos, pode até levar à morte, se não for tratada adequadamente.

Em geral, a transmissão acontece no contato de pessoa a pessoa, por meio das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz. Para tal, é preciso haver convívio próximo com residentes da mesma casa, quarto, creche, escola, ou até contato direto com as secreções respiratórias do paciente.

"A meningite C pode ser muito agressiva. É uma bactéria que passa pelo organismo, vai para a corrente sanguínea, inflama as meninges e ataca o cérebro. Por isso é fundamental a rápida detecção da doença", afirma Vanessa Lentini Spilleir, professora de infectologia da Faculdade Santa Marcelina. "É a bactéria do mal", resume.

A especialista afirma que os sintomas, alguns similares aos de uma virose, podem aparecer entre três e cinco dias após a contaminação. "Os mais comuns são dor de cabeça, febre alta e vômito. A diferença é que o paciente com meningite chega ao consultório mais debilitado. Esse quadro é mais grave".

Os grupos mais suscetíveis à doença são crianças menores de 5 anos, com mais risco aos menores de um ano, e maiores de 60 anos.

Pacientes com doenças crônicas ou que baixam a resistência, como insuficiência renal crônica, diabetes e HIV, também possuem maior risco de contrair meningite.

O pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, explica que a meningite viral também pode se assemelhar a um resfriado, mas não deixa sequelas. "Já a bacteriana é grave. Pode causar convulsões e lesões no cérebro, até levando à morte", afirma.

VACINAÇÃO

O Ministério da Saúde ampliou, este ano, a faixa etária para vacinação contra a meningite C. Além das três doses para menores de um ano, os adolescentes de 12 e 13 anos também devem ser imunizados em três etapas.

"Essa é uma doença que se espalha facilmente em locais de grande aglomeração, como metrô. Por isso, entrou no calendário vacinal", afirma a infectologista Vanessa Lentini Spilleir.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »