03/11/2019 às 10h00min - Atualizada em 03/11/2019 às 10h00min

TI: A relação entre as oportunidades e a qualificação

PAULO SANT'ANNA

TI é a profissão do futuro. Não faltam empregos em TI.  TI está em alta. Quem nunca ouviu ou leu essas afirmações? Eu atuo profissionalmente na área de Tecnologia da informação há 19 anos e por todo esse tempo pude experimentar que se trata de uma verdade, porém o que muitas das vezes acontece é que nós profissionais muitas das vezes não estamos preparados para o que o mercado exige até porque com a mesma velocidade que tecnologias surgem, também desaparecem e caem em desuso.

A atualização e estudo constante deve fazer parte de qualquer carreira e segmento, mas em TI especificamente, devido a efemeridade das tendências, essa necessidade constante de ter o conhecimento do novo, do atual, do que se usa é mais do que necessária. Porém, escrever isso é fácil, na prática é bem mais complicado devido a diversos fatores, como por exemplo, um profissional que atua em uma empresa onde os sistemas são desenvolvidos em arquitetura antiga, em linguagem Java. Este profissional é especializado nesta tecnologia. Como ele deve proceder? Se especializar ainda mais, se tornando uma referência e atendendo ao que a empresa que paga o seu salário ou se desenvolver em linguagens mais atuais e que são tendência do mercado? Se manter no emprego ou aumentar sua empregabilidade? Sair da empresa e empreender? Talvez...todos são empreendedores? Não...enfim, é uma decisão complicada.

Outro exemplo, um profissional de infraestrutura que trabalha em uma empresa, montou ou participou da construção de todo o ambiente, mas que por uma série de fatores, seja estratégia, politica da empresa ou limitação do orçamento ainda mantém servidores, por exemplo, baseados em uma versão antiga de sistema, como Windows Server 2008, ou alguma distribuição Linux antiga. Então como este profissional deve proceder visto que o mercado já está em outro momento? Atualmente, empresas novas e startups mantém toda a infra de servidores e serviços em nuvem, ou seja, o analista ou responsável pela infra de TI não tem mais acesso físico aos servidores simplesmente pelo fato de que não mais estão dentro da empresa.

De acordo com a Assespro-RS, existe uma previsão no mercado que o setor de TI irá crescer 20% no ano que vem, o que em tese seria um número confortável para todo o ecossistema (empresas, empresários e profissionais da área). Porém, ao mesmo tempo que seria um prognóstico otimista, gera um certo temor, principalmente para o empregador, pois será quase que uma certeza que faltará profissionais qualificados para popular essas oportunidades que serão geradas.

Há algumas semanas eu postei no meu Linkedin essa imagem pública, disponibilizada pela Cloud Native Computing Foundation, com as tecnologias e plataformas que envolvem todo o ecossistema atual da Cloud computing gerando uma discussão entre os colegas de área. Pois quantos de nós estamos preparados para esta nova TI que já se faz presente?

As oportunidades para quem deseja ingressar na área de TI são inúmeras. Segundo pesquisas, até 2024 serão demandados 420 mil trabalhadores nesta área. Para os que já são da área, busquem o segmento que mais se identifiquem e façam a adequação da sua especialidade com as tecnologias atuais, se especializando com o que o mercado exige atualmente. Bons estudos! Vamos em frente!

Até o próximo domingo!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.






 


 
 
 

Relacionadas »
Comentários »