15/09/2019 às 14h30min - Atualizada em 15/09/2019 às 14h30min

Derrubando mitos sobre o Linux

PAULO SANT'ANNA

Na semana passada eu fiz uma abordagem inicial sobre o sistema operacional Linux. Hoje vamos falar, ou melhor procurar derrubar alguns mitos e tabus que acabam dificultando ou impedindo a adoção e a utilização desde fantástico sistema.

Faltam programas no Linux
Existem inúmeros programas e softwares para todas as necessidades de um usuário de computador, seja para fins de trabalho ou diversão. O que pode acontecer é que determinado programa que estamos acostumados a utilizar no sistema Windows pode realmente não ter uma versão para Linux. Mas não faltam opções para qualquer situação. Muitos reclamam da falta do Microsoft Office, por exemplo, porém além de existirem boas opções como o Google Docs, que é online ou o Libre Office que pode ser instalado, inclusive no Windows, atualmente podemos utilizar o Office, através do produto chamado 365, no Linux de forma online, através do navegador.

O sistema Linux foi feito somente para profissionais de TI e para rodar em servidores
Não é verdade. O sistema em seu inicio teve esse foco e realmente acabou ganhando força neste segmento, em empresas dos mais diversos tamanhos e entre profissionais da área de TI, mas hoje em dia, temos distribuições Linux como Ubuntu, Mint, Fedora ou Elementary que possuem interfaces belas, intuitivas, funcionais e atrativas para o usuário final e que pode ser instalado em qualquer computador ou notebook, seja antigo ou novo.

Grau de dificuldade alto na utilização
Conforme comentei anteriormente, antes o foco do sistema não era o usuário final e sim os servidores, então não existiam as interfaces gráficas como a Gnome, LXDE, Mate ou Cinnamon que temos hoje, que tornam mais fácil a vida do usuário final. Principalmente aqueles que estão acostumados com o Windows e suas janelas. A questão toda é que nós, seres humanos, temos uma certa dificuldade com o novo, com a mudança, então acaba que muitos desistem pelo caminho por que não tiveram a paciência ou a orientação correta quanto a correlação do que se fazia no já conhecido Windows e o que se deve fazer no novo sistema.

Para usar o Linux é necessário saber usar comandos em modo texto
Outro mito. Atualmente nas distribuições mais populares e já citadas aqui não é mais necessário ser um profissional da área de tecnologia das informações com conhecimentos em linha de comandos, a famosa tela preta. Podemos utilizar o sistema totalmente em modo gráfico, com as facilidades, aplicativos e janelas que encontramos em outros sistemas como Windows e Mac OS, que em breve também será tema desta coluna. No caso de servidores aí sim, o conhecimento em administração e execução de tarefas através de comandos é necessária.

Não é possível jogar no Linux
O sistema Linux pode ser utilizado para editar seus trabalhos, ver seus vídeos favoritos e porque não, para jogos? Sim, O Linux possui uma ampla biblioteca de jogos disponíveis. Existem mais jogos para Windows? Também é verdade, mas temos muitas opções para o sistema do pinguim. Somente na Steam, a plataforma mais utilizada para jogos em computadores, são mais de 12000 jogos disponíveis para o sistema. Além disso 8 dos 10 games mais populares atualmente rodam no Linux. Caso você seja um apaixonado por jogos retrô, podemos instalar emuladores dos mais diversos videogames antigos que fizeram sucesso nos anos 80 e 90 como Atari, Master System, Nintendo, Mega Drive, Game boy e etc. Resta alguma dúvida se é possível jogar no Linux?

Bom, eu espero ter ajudado a desmistificar algumas dúvidas para os que consideram uma migração para o sistema operacional Linux, que além de ser estável e robusto, tem um grande atrativo pelo fato de ser gratuito. Fico à disposição para tirar outras dúvidas.

Até o próximo domingo!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Relacionadas »
Comentários »