12/03/2018 às 14h53min - Atualizada em 12/03/2018 às 14h53min

O futebol de segunda

EDUARDO MACEDO DE OLIVEIRA | PROFESSOR

A razão não move o futebol, somente a vaidade, o oportunismo, a incompetência... Atenção: querem dirigir uma equipe, paixão de milhares de uberlandenses, estejam pelo menos à altura desta cidade. Basta!

Da última vez, foram cinco anos para subir novamente à primeira divisão. Nossa cidade, a estrutura oferecida, nossos torcedores não merecem isso. O Uberlândia Esporte Clube não pode mais tornar-se uma colônia de férias administrada por senhores feudais que há anos orbitam e sugam esta gloriosa equipe. Nossa cidade sempre revelou talentos esportivos em várias modalidades, por que no futebol seria diferente? Temos um futebol amador com o maior número de campos e participantes entre as maiores cidades brasileiras. Basta! Sejam humildes em admitir as suas incapacidades e despreparo. #prontofalei

"A arte (e o esporte) existe para que a verdade não nos destrua." (Friedrich Nietzsche)

Em tempo: e a Federação Mineira de Futebol, até quando reinará impune em nosso estado? Historicamente manteve o futebol mineiro no ostracismo, sinônimo do pior conservadorismo esportivo, despachante dos três grandes de BH, reinado do pior fisiologismo transformando-a num feudo de interesses escusos, enfim, uma entidade nociva e inútil, obviamente contando com a habitual covardia, complacência, obediência e condescendência dos dirigentes do interior, perpetuando assim o que há de pior para uma administração esportiva.

A configuração do campeonato do Módulo I é uma piada de mau gosto. Enfim, a Federação transformou o futebol profissional mineiro num simulacro indecente de compadrios, interesses e instrumento de privilégios de toda ordem.
Relacionadas »
Comentários »