19/01/2022 às 09h39min - Atualizada em 19/01/2022 às 09h39min

Moradores prejudicados pela chuva em Uberlândia têm perdas avaliadas em R$ 30 mil

Enchente na Avenida Rondon Pacheco arrastou carros e invadiu casas, hospital e clube no último domingo (16)

MARIELLE MOURA
Carro avaliado em R$ 35 mil, arrastado pela enchente na Rondon, teve perda total I Foto: ARQUIVO PESSOAL
Moradores de Uberlândia ainda estão contabilizando o prejuízo causado pelos estragos provocados pela forte chuva que atingiu a cidade na tarde do último domingo (16). O Diário de Uberlândia conversou com pessoas que tiveram perdas avaliadas em aproximadamente R$30 mil. Um clube e um hospital particular localizados na Avenida Rondon Pacheco também foram invadidos pela água. A avenida, tomada por uma enchente que arrastou carros e arrancou placas de asfalto, teve o trânsito liberado na noite de segunda (17). Em entrevista coletiva, o prefeito Odelmo Leão disse que a revitalização custará aos cofres públicos cerca de R$ 400 mil.
 
Em conversa com a reportagem, o mecânico Ítalo Silva Oliveira, que ajuda o pai em uma loja de móveis rústicos às margens da Rondon, contou que o estabelecimento foi completamente atingido pela enchente. “A loja ficou praticamente toda submersa, em alguns locais a água subiu dois metros acima do nível da rua”, disse.
 
Ítalo disse ainda que, além do prejuízo com a perda do material, o portão e boa parte da vitrine da frente foram arrancados pela água, além do muro dos fundos. O prejuízo ainda está sendo avaliado, mas de acordo com o mecânico, já ultrapassa os R$30 mil. “O prejuízo ainda está sendo contabilizado, mas está girando em torno de R$30 mil, tivemos além dos móveis estragados, o portão, a vitrine e o muro do fundo também caiu”, informou.
 
Segundo o mecânico, o pai sofre com os estragos causados pela chuva todos os anos, mas neste ano o prejuízo foi o maior já registrado. “Todo ano acontece o mesmo problema, meu pai tem a loja desde 2012 e sempre convivemos com isso, mas dessa vez foi pior”, completou.
 
A enchente que atingiu a Av. Rondon Pacheco também causou prejuízos para os motoristas. O cantor Leo Barone (23), que estava em um bar com amigos no momento da chuva, teve o carro arrastado pela água. Em entrevista ao Diário, ele disse que em poucos minutos a enchente tomou conta da avenida. Com a força das ondas, o veículo, avaliado em R$ 35 mil foi arrastado por cerca de 60 metros e teve perda total. “Foi tudo muito rápido, em questão de cinco minutos a quantidade de água que desceu já não dava para sair do bar e tirar o carro”, contou.
 
O artista também contou que, além de seu veículo, viu pelo menos outros oito carros sendo arrastados pela água. “A quantidade de guincho era gigante. Ali na frente do bar pelo menos oito carros foram levados, em 15 minutos de chuva”, relatou.
 
Para a autônoma Taísa Moreira o prejuízo foi menor. O carro em que ela estava saiu ileso, mas teve a placa arrancada. Ela contou o sufoco vivido para conseguir voltar para casa, tendo que passar por pontos alagados na Avenida Anselmo Alves dos Santos.
 
“Já estava chovendo quando saímos do parque, mas o caminho mais perto de irmos para casa era pela avenida Anselmo Alves dos Santos, como meu cunhado passou pela enxurrada, eu segui ele e passei tranquila também, não vi na hora, a água só subiu um pouco do pneu, foi muito rápido”, disse Taísa.
 
A autônoma disse ainda que só percebeu o sumiço da placa quando chegou em casa e que não encontrou o objeto.“Não imaginava que eu passando por ali ia perder minha placa, só dei falta dela quando estacionei na garagem da minha casa”, contou.


 
CLUBE E HOSPITAL INVADIDOS
A chuva também atingiu o primeiro piso do Hospital Santa Marta, na Rondon Pacheco, e a Defesa Civil foi acionada para conter os danos. Os pacientes do Pronto Atendimento tiveram que ser encaminhados para o segundo piso. O hospital informou que a água que invadiu o prédio foi retirada pela equipe do setor. A unidade precisou suspender o pronto atendimento até a manhã de segunda em razão da enchente.
 
A enchente também tomou conta do Praia Clube, que informou danos severos, mas todos de ordem material. Os prejuízos ainda estão sendo avaliados para um comunicado oficial. O Clube está em funcionamento, com apenas uma parte interditada.
 
Precisaram ser interditados o Complexo da Piscina Olímpica, Piscina do Palhaço, Parque de Areia, Pista de Skate, Parque Infantil de Água, Piscina da Hidroginástica e Musculação. Nesta terça (18), o clube informou que a maioria das áreas foi reestabelecida e que somente o Complexo da Piscina Olímpica, o Parque de Areia e a Pista de Skate ainda precisam passar por manutenção.
 
O QUE DIZ O MUNICÍPIO
O Diário de Uberlândia questionou o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) se houve algum dano na rede pluvial que precisará de reparação. Por meio de nota, o órgão respondeu que a chuva de domingo (16) não afetou as adutoras das redes de água e nem as redes de esgoto da autarquia. As manutenções se concentraram nas redes de drenagem pluvial, principalmente na avenida Rondon Pacheco.
 
O Prefeito Odelmo Leão informou durante entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (17) que as pessoas que tiveram as residências atingidas tiveram apoio da equipe e uma avaliação da Defesa Civil será feita. “Toda equipe que estava na rua ontem ofereceu todo apoio à população, inclusive oferecendo levá-los para hotéis", explicou.
 
REPAROS
Segundo a Prefeitura, serão gastos entre R$ 350 a R$400 mil para reformar a avenida Rondon Pacheco e ruas adjacentes devido aos estragos causados pela forte chuva que atingiu a cidade. Os Ministérios Públicos Estadual (MPMG) e Federal (MPF) emitiram uma recomendação para a Prefeitura de Uberlândia e o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) para que medidas sejam adotadas a fim de solucionar os problemas de drenagem da via.
 
De acordo com o Município, os principais pontos de alagamento foram registrados nas avenidas João Naves de Ávila, Belarmino Cotta Pacheco, Anselmo Alves dos Santos e Rondon Pacheco.
 
Uma das avenidas que mais tiveram estragos foi a Rondon Pacheco, A via ficou interditada de domingo até o fim da noite de segunda (17) quando os trabalhos de reparos foram concluídos. O trânsito já foi liberado.
 
Sobre a ação do MPMG E MPF, o prefeito informou que vai responder a recomendação com tranquilidade. “Ainda não tive tempo de ver essas coisas, eu estava cuidando de outras hoje, mas não me preocupo porque vamos estar com muita tranquilidade respondendo ao Ministério Público. O que mais temos aqui é planejamento e prevenção, junto à Polícia Militar, bombeiros e todos os órgãos ligados à Prefeitura. Inclusive, temos um órgão de prevenção, o Cometec, que trabalha 24 horas por dia e está atento a qualquer incidente na nossa cidade, seja na chuva ou em qualquer outro período. Todos os projetos que temos obedecem às notas técnicas de engenharia”, completou.
 
OCORRÊNCIAS
Segundo informações do Corpo de Bombeiros, somente na Av. Rondon Pacheco, que ficou inundada, foram 23 chamados para atendimentos. As principais ocorrências foram de quedas de árvores, veículos ilhados, além do resgate de uma pessoa.
 
De acordo com informações da Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), em alguns pontos da cidade, como em uma das estações de medição no setor Leste, na Estação INMET, o nível de precipitação chegou ao número de 75,4 mm. A Estação Jardim Patrícia, Setor Oeste registrou 6,4 mm; Estação São Jorge, Setor Sul: 18,4 mm; Estação Pampulha, Setor Sul: 73,5mm; Estação Centro, Setor Central: 74 mm; Estação Industrial, Setor Norte: 4,8 mm. 

VEJA TAMBÉM:
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »