24/09/2021 às 10h00min - Atualizada em 24/09/2021 às 10h00min

GAECO realiza 5ª fase da Operação Torre de Babel

Sete mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Uberlândia e dois em Coromandel

DA REDAÇÃO
Operação conta com o apoio da Polícia Civil (PCMG) e Polícia Militar (PMMG) I Foto: MPMG/Divulgação

O  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) realiza na manhã desta sexta-feira (24) a 5º fase da Operação Torre de Babel. Os crimes investigados são organização criminosa, extorsão, receptação, violação de sigilo funcional e comunicação falsa de crime. O trabalho conta com o apoio da Polícia Civil (PCMG) e Polícia Militar (PMMG)

 

Sete mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Uberlândia, e dois em Coromandel. Entre os alvos estão um policial militar e um advogado, o último está impedido de exercer a profissão em decorrência de mandado judicial expedido pela Justiça a pedido do Ministério Público. 

 

Participam da atual fase da operação 28 policiais militares, 8 policiais civis, entre eles um delegado, além de 3  promotores de Justiça de Minas Gerais. As investigações continuam e tramitam em segredo de Justiça, motivo pelo qual o Gaeco não deu mais detalhes sobre os trabalhos.


TORRE DE BABEL

A Operação Torre de Babel teve início em outubro de 2019 quando foram cumpridos 65 mandados de busca e apreensão e 94 de prisão preventiva e temporária contra 69 investigados. Na época, um dos mandados foi cumprido contra o ex-vereador Juliano Modesto e outro, de busca e apreensão, em desfavor do ex-vereador Alexandre Nogueira. Entre os investigados, também estavam dez PMs, quatro policiais civis e três advogados. 

A investigação apurou que a Cooperativa dos Transportadores de Passageiros e Cargas em Uberlândia (Coopass) teria apresentado planilhas com valores adulterados da quilometragem rodada pelos veículos do transporte para receber valores superiores da Prefeitura de Uberlândia pelo serviço prestado.  

A 2ª fase da operação aconteceu em 25 de outubro de 2019. Mais 57 pessoas foram investigadas, incluindo policiais militares e civis por envolvimento com roubo de carga, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, receptação de veículos, irregularidades em contratos públicos e até homicídios. 

Já em 2020, a 3ª fase foi deflagrada no dia 1º de abril, e a 4º em 14 de outubro de 2020, com a investigação de roubos de caminhões e cargas por meio de organizações criminosas no Triângulo Mineiro e sul de Goiás. Foi apurado a existência de um consórcio criminoso que praticou quase uma dezena de roubos a veículos de carga. Esta fase foi deflagrada nas cidades de Uberlândia, Itumbiara (GO) e Goiatuba (GO). 

Na última fase foram expedidos 30 mandados de prisão preventiva em face de 21 investigados. Dentre eles, 11 já se encontravam em unidades prisionais nas cidades onde a operação foi deflagrada; além dos municípios de Divinópolis (MG) e Araraquara (SP). Entre os investigados havia três policiais militares.



VEJA TAMBÉM: 
 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »