15/06/2021 às 08h00min - Atualizada em 15/06/2021 às 08h00min

Novo projeto visual destaca história da Casa da Cultura

Visitações ao espaço podem ser feitas mediante agendamento prévio

DA REDAÇÃO
Espaço traz obras famosas de Tarsila do Amaral, Macielj Babinski, Alfredo Volpi | Araípedes Luz/Secom/PMU
A Casa Amarela, como é carinhosamente chamada a Casa da Cultura, foi construída na década de 1920 e reestruturada para receber e fomentar ainda mais projetos culturais, além de ser um expoente para artistas locais e mundiais. Com novos significados conferidos pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, o espaço está aberto à visitação mediante agendamento prévio. Estão expostas hoje no espaço obras como gravuras de Tarsila do Amaral, Macielj Babinski, Alfredo Volpi, Marcello Grassmann, Cícero Dias, do uberlandense Henrique Lemes e muitos outros. 

Ao longo de um século, o prédio tombado em 1985 – quando se tornou Casa da Cultura – serviu para vários propósitos, passou por restaurações e adaptações que trouxeram à tona vários elementos originais, como a pintura das paredes, a madeira das janelas e portas, além de detalhes arquitetônicos significativos como os arcos e os alicerces de pedra. Em 2007, a edificação foi reaberta à comunidade. Na ocasião e novamente em 2018/2019, o espaço recebeu novas melhorias com trabalhos de restauração e pintura da Casa.

A diretora da Casa da Cultura, Ana Cláudia Costa de Souza Oliveira, destaca que os trabalhos permitiram muito mais que melhorias das condições físicas e estruturais. Em 2020, quando os setores administrativos foram para o Centro Municipal de Cultura, os espaços do Piso Inferior da Casa da Cultura, por exemplo, ganharam novas funcionalidades.

“Tivemos o desafio de ressignificar esses espaços e trazer aos visitantes, a experiência de conhecer a história da Casa através deles. Com a exposição do acervo, buscamos oferecer ao público a oportunidade de conhecer de perto obras de artistas locais e de diversos países, alguns renomados mundialmente. A casa está toda adaptada para instigar os visitantes a explorar cada espaço, pois do teto até o chão temos coisas para serem vistas”, afirmou.

A Casa da Cultura foi construída entre 1920 e 1922 pelo Coronel Eduardo Marquez. O projeto arquitetônico foi inspirado em um palacete que o Coronel viu e se encantou durante visita a São Paulo. O projeto foi elaborado pelo engenheiro Fernando Paes Lemes, enquanto a construção ficou a cargo do empreendedor Américo Zardo.

MEMÓRIA NO PORÃO
No piso inferior, a Sala do Projetor dará as boas-vindas com a imponência de um exemplar de fabricação alemã da década de 1940, em exibição na Casa desde 2007. Na parede, informações técnicas e histórias dos cinemas da cidade ao longo das décadas. Também nesta sala, os visitantes poderão conferir o vídeo do Sr. Messias, que já trabalhou em vários cinemas da cidade, com um depoimento cheio de histórias e ensinando como ele operava o projetor.

FUNCIONAMENTO E AGENDAMENTO:
Endereço: Praça Coronel Carneiro, 89, bairro Fundinho
Telefones para agendamento: (34) 3255-8252 – segunda a sexta-feira de 12h às 18h
Visitas: As visitas agendadas são de segunda à sexta-feira de 13h às 17h
E-mail: [email protected]


VEJA TAMBÉM:

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »