09/02/2021 às 14h12min - Atualizada em 09/02/2021 às 14h12min

Hemocentro de Uberlândia espera melhora após incentivo do MS para doações

Unidade regional está com estoques 40% abaixo do ideal dos sangues tipo O- e A- e 50% abaixo do indicado do sangue A+

FERNANDO NATÁLIO
Estoques do tipo tipo O- e A- estão 40% abaixo do ideal | Foto: Arquivo Diário

Com estoques de três tipos sanguíneos abaixo do patamar ideal, o Hemocentro de Uberlândia espera ter uma melhora neste quadro nas próximas semanas impulsionada pelo incentivo do Ministério da Saúde para que as pessoas doem sangue antes de serem vacinadas contra a covid-19, em função do impedimento temporário para doação após o recebimento de certos tipos de vacinas.

Atualmente, segundo a responsável pelo setor de captação do Hemocentro de Uberlândia, Patrícia Santos de Almeida Fernandes, a unidade regional, que abrange 18 municípios, está com estoques 40% abaixo do ideal dos sangues tipo O- e A- e 50% abaixo do indicado do sangue A+.

“Nossa expectativa é que as pessoas vejam essa campanha e se engajem nela. Quem estiver saudável e tiver condições de doar, faça o agendamento online e compareça aqui para doar o sangue e ajudar a salvar vidas. Temos uma demanda enorme de sangue em Uberlândia e região e a única forma de atendê-la é essa, tendo doadores para que possamos ter os estoques de sangue necessários”, informa Patrícia Fernandes.

De acordo com o Ministério da Saúde, o período de inaptidão de doação de sangue após a vacinação é necessário porque o micro-organismo da imunização, ainda que na forma atenuada, circula por um tempo determinado no sangue do doador. Em caso de pacientes imunossuprimidos (com o sistema imunológico enfraquecido por causa de algum medicamento, tratamento ou doença sistêmica), há risco do receptor da vacina desenvolver a doença para a qual foi vacinado.

De acordo com o tipo de vacina aplicada, a norma no Brasil determina períodos diferentes de intervalo para uma doação de sangue. Após vacinas de vírus ou bactérias inativados, toxoides ou recombinantes, o tempo previsto de inaptidão é de 48 horas. É o caso do imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, a CoronaVac, que funciona com vírus inativado.

Já após vacinas de vírus ou bactérias vivos e atenuados, deve-se esperar quatro semanas para doar sangue. É o que ocorre com o imunizante da AstraZeneca/Oxford, produzido no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por se tratar de uma vacina de vetores virais.
 
REDUÇÃO DE DOAÇÕES
O principal fator responsável pela redução de estoques de sangue de três tipos de sangue (O-, A- e A+) no Hemocentro de Uberlândia é a pandemia do coronavírus. A afirmação é da responsável pelo setor de captação do Hemocentro de Uberlândia, Patrícia Santos de Almeida Fernandes.

De acordo com ela, um dos principais problemas causados pela pandemia que impactam diretamente nas doações é o tempo necessário de inaptidão para doação que é exigido após uma pessoa ter sintoma gripal. “Nessa situação, é preciso aguardar 30 dias para doar o sangue”, informa.

Outra dificuldade verificada refere-se às pessoas que tiveram contato com alguém que testou positivo para a Covid-19. “Nesse caso, o potencial doador tem que esperar 14 dias para ver se terá sintomas da doença. Somente se não tiver, é que poderá doar”, explica Patrícia Fernandes. “E quem tiver covid-19 tem que esperar 30 dias para voltar a doar sangue, desde que não tenha ficado com sequelas da doença”, completa.



VEJA TAMBÉM:


Vereadores promovem audiência pública para discutir plano municipal de vacinação

Profissionais da educação decidem manter paralisação em Uberlândia


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »