11/01/2021 às 15h48min - Atualizada em 11/01/2021 às 18h01min

Prefeitura confirma reativação de 16 leitos de UTI no Hospital Santa Catarina

Decisão foi tomada em função do aumento do número de casos de Covid-19 nos últimos dias na cidade

DA REDAÇÃO
Município havia desativado 32 leitos na unidade em novembro | Foto: Arquivo/Diário de Uberlândia

A Prefeitura de Uberlândia anunciou, em entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (11), a reativação de 16 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), destinados à Covid-19, no Hospital Santa Catarina. Estavam em funcionamento 30 leitos e, com o retorno, passam a ser 46. Ainda segundo o Executivo, no Hospital Municipal há 10 leitos de UTI em operação, mas todos ocupados.
 
Segundo o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, a decisão de reativar os leitos de UTI no Santa Catarina foi tomada em função da elevação do número de casos de Covid-19 nos últimos dias. O mais recente boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), divulgado nesta segunda (11), apontou que 66% dos leitos destinados à enfermidade na rede municipal seguem ocupados.
 
Ainda de acordo com Gladstone Rodrigues, o principal problema, nesse momento, está nas aglomerações familiares. “Tivemos aumento significativo da demanda nas UAIs, de consultas e de exames para diagnóstico, que passaram, na rede pública e privada, de 3 mil em uma semana, em novembro, para 9 mil nesse início de ano. É um reflexo do Natal e, em uma semana, teremos o [reflexo] do Ano Novo”, afirmou o secretário. “Isso tudo resultará em aumento do número de mortes”, completou Rodrigues.
 
Em reportagem publicada na sexta-feira (8), o Diário de Uberlândia já havia mostrado que, após as festas de fim de ano, os hospitais públicos e privados de Uberlândia registraram aumento de 21,3% no número de internações por conta da Covid-19.
 
Ainda de acordo com o secretário de Saúde, é preciso que a população entenda que deve evitar, temporariamente, as aglomerações familiares. “No Natal eu disse que não vai ter leitos de UTI para seu ente querido se você não colaborar. Se precisar, vamos aumentar novamente o número de leitos de UTI, voltando aos 62 que tínhamos antes, mas as famílias precisam se conscientizar também”, explicou. Além disso, Gladstone Rodrigues destacou que, se não houver controle, podem faltar também médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem nas unidades de atendimento.
 
COMÉRCIO
A princípio, ainda segundo o secretário Municipal de Saúde não deve haver fechamento do comércio, mesmo com o aumento do número de casos de Covid-19 em Uberlândia.
 
“Se depender do Comitê de Enfrentamento, não terá fechamento do comércio, pois entendemos que esse não é o problema. A maior propagação do vírus, hoje, está nas confraternizações familiares. Temos que conscientizar esse público”, apontou o secretário.
 
VOLTA ÀS AULAS
Apesar do aumento do número de exames e de casos de coronavírus em Uberlândia nos últimos dias, o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, afirmou que, por enquanto, as aulas presenciais nas escolas estão previstas para serem retomadas no dia 8 de fevereiro, conforme cartilha de recomendações feita pela Prefeitura de Uberlândia às instituições. Mas, ainda de acordo com o chefe da pasta, no fim de janeiro, haverá uma nova avaliação sobre essa data.
 
A própria cartilha preparada pela Prefeitura já mencionava que essa será a data de retomada desse formato se a pandemia não voltar a crescer em Uberlândia. “Vamos perseguir esse objetivo de retomada das aulas presenciais. Mas, temos que esperar até por volta do dia 25 de janeiro para saber melhor como estará a situação da cidade”, afirmou Gladstone Rodrigues.



ENTENDA
Em novembro de 2020, a Prefeitura havia desativado 42 leitos de UTI destinados à Covid-19 no Hospital Santa Catarina e Hospital Municipal. Na época, o prefeito Odelmo Leão afirmou que a desativação ocorreu para transferir equipes das UTIs para outros setores, especialmente para o hospital municipal.

"As UTIs ficarão lá e estarão à disposição para atender a população de Uberlândia. Eu espero que isso não aconteça. Nós temos um hospital pronto e ele vai funcionar em prol do povo de Uberlândia", disse o chefe do Executivo na oportunidade.

Já no fim de dezembro, o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, confirmou que o Município não terá condições de ampliar a capacidade de leitos de UTI caso haja uma segunda onda ainda mais forte da Covid-19 em Uberlândia. Segundo o responsável pela pasta, a reativação dos leitos seria necessária caso a taxa de ocupação atingisse 95%.




VEJA TAMBÉM:

Prefeitura desativa mais de 40 leitos de UTI em Uberlândia


Prefeitura teme segunda onda da Covid-19 em janeiro


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »