11/09/2020 às 12h02min - Atualizada em 11/09/2020 às 12h02min

Corpo de médico é encontrado no Rio Claro após cinco dias de buscas

Vítima se afogou e estava desaparecida desde a última segunda (7) na região da Cachoeira da Fumaça, entre Uberlândia e Nova Ponte

DA REDAÇÃO
Bombeiros utilizaram técnica para desviar fluxo d'água e conseguir acessar as pedras do rio | Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação
Após cinco dias de buscas, o corpo do médico de 30 anos que se afogou no Rio Claro, entre Uberlândia e Nova Ponte, foi encontrado na manhã desta sexta-feira (11). A vítima estava desaparecida desde o feriado de 7 de setembro. 

Cinco mergulhadores do Corpo de Bombeiros iniciaram o quinto dia de resgate às 5h e o corpo foi localizado por volta das 10h30. Os trabalhos foram concentrados em colocar anteparos em alguns pontos do rio com o objetivo de desviar o fluxo d’água e reduzir a forte correnteza para que os militares pudessem entrar debaixo das pedras. 

A técnica funcionou e um dos bombeiros conseguiu encontrar o corpo do médico entre as locas formadas pelas pedras. O corpo estava preso embaixo de pedras, cerca de 80m abaixo do local do acidente e 2m de profundidade. 
Como o local é de difícil acesso, a retirada do corpo será feita ainda nesta manhã com o auxílio de helicóptero e liberado à família. Amigos e familiares da vítima acompanharam os trabalhos ao longo da semana. 

AFOGAMENTO
O acidente aconteceu na última segunda-feira (7) quando o médico de Uberlândia e um grupo de amigos nadavam na região da Cachoeira da Fumaça. Segundo as testemunhas, a vítima cruzava o rio para ir embora, a aproximadamente 80 metros da queda da cachoeira, quando submergiu e não voltou mais à superfície, sendo arrastada para o fundo. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o local tem uma forte correnteza de água e grandes pedras que formam várias locas, tornando uma região perigosa para os banhistas. Foram cinco dias de buscas que começaram no início da manhã e terminavam com o pôr do sol. Devido o perigo da área, os militares utilizaram cordas para maior segurança. 


VEJA TAMBÉM:
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »