19/08/2020 às 12h48min - Atualizada em 19/08/2020 às 12h48min

Bares de Uberlândia se reinventam durante reabertura

Estabelecimentos devem seguir série de regras para manter o funcionamento em razão da pandemia de Covid-19

SÍLVIO AZEVEDO
Cervejaria abriu nova unidade na avenida Rondon Pacheco em meio à pandemia | Foto: Divulgação
Na primeira semana de agosto, as novas deliberações do Minas Consciente autorizaram a reabertura de bares e restaurantes em Uberlândia, respeitando algumas regras como distanciamento entre mesas e horário de funcionamentos. Com isso, o setor que estava há cinco meses de portas fechadas e precisou criar alternativas para não fechar, pôde, enfim, voltar a funcionar.

Ocorre que uma confusão em um bar localizado na avenida Rondon Pacheco, nas últimas semanas, deixou muita gente preocupada e donos de bares e restaurantes indignados. Segundo o proprietário do Alfaiataria, Robson José de Avelar Ferraz Júnior, o fato de o bar, aparentemente, ter descumprindo a regra gerou descontentamento entre outros donos de estabelecimentos.

“Ficamos bastante chateados com o dono do estabelecimento porque assim, estamos há cinco meses parados e quando temos a oportunidade a pessoa descumpre. Porque a briga aconteceu além do horário permitido e a gente sentiu que teve grande peso nas medidas sequentes dos atos. Temos um grupo de donos de bares e restaurantes e muitos criticaram a atitude deles”.

Durante o período em que esteve fechado, Robson teve que inventar novos pratos para atender a clientela, já que alguns funcionários da cozinha fazem parte do grupo de risco e tiveram que se manter afastados do trabalho. A ideia foi oferecer sanduíches.

“Como tivemos que reduzir os nossos funcionários, pois na cozinha havia três de grupos de risco, tivemos que bolar um produto de fácil execução, que não dependesse de muita mão de obra. Então implantamos uma linha de sanduíches mais regionais, como pão com linguiça, com almôndega e com pernil. Lançamos produtos novos para ficarmos abertos na pandemia”.

De acordo com Robson, mesmo com a reabertura, o espaço teve que adotar medidas mais rígidas para manter o bar em funcionamento, como redução no número de colaboradores, renegociação de dívidas e diminuição de pratos do cardápio.

 
“Estamos voltando bem devagar, porque se voltarmos com 100%, com o horário reduzido, não possibilita vender. Então para não ter problema com estoque, estamos trabalhando de forma mais reduzida. Além disso, a Pefeitura exigiu distanciamento de 2m entre as mesas, e eestamos com 2,5m. De 52 mesas, passamos para 20”, disse Robson que também comentou que apesar das exigências até então não recebeu a visita de nenhum fiscal.

Alicinio Caetano Júnior abriu uma unidade da cervejaria Uai Bier em Uberlândia em meio à pandemia. Segundo ele, foram meses de planejamento e que sempre encontrava uma determinação adiando a abertura do estabelecimento. 

“Ficamos ao todo quatro meses fechados na avenida Rondon. E todas as vezes que programávamos, saía alguma novidade negativa e o momento de abrir acabou acontecendo a partir de 21 de julho”.

Após a abertura, o restaurante teve que atender as determinações publicadas nos decretos, além da disponibilização do álcool em gel e redução pela metade no número de atendimentos.

 
“Tem uma colaboradora que fica na portaria fazendo a contagem de clientes. O decreto diz que o funcionamento deve ser com 50% do número de pessoas. Então, quando o contador atinge esse número, direcionamos as pessoas para uma fila, que também é responsabilidade nossa. Para isso colocamos uns bistrôs para atender essas pessoas e evitar aglomeração na porta”.

O distanciamento também é obedecido, até porque o local possui uma grande área de 1000m², facilitando o distanciamento entre os clientes. Além do espaço aberto, as áreas cobertas são bem ventiladas, com circulação de ar muito presente”.

O Diário agendou uma entrevista com o superintendente do Procon, Egmar Ferraz, mas por várias vezes o telefone de contato da fonte estava desligado. O objetivo era saber do órgão sobre as fiscalizações, sobre o tumulto ocorrido no bar situado na avenida Rondon  Pacheco e se há estabelecimentos na cidade que não estão cumprindo as regras.

Sobre a confusão ocorrida no bar, na ocasião o estabelecimento informou à reportagem que o
 local já estava fechado, com contas e venda de bebidas encerradas às 22h. Estavam no local somente alguns clientes que terminavam as refeições e bebidas. Ainda de acordo com o estabelecimento, todas as regras estabelecidas pelas autoridades, em razão da pandemia, foram devidamente cumpridas. 

VEJA TAMBÉM:

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »