03/04/2020 às 13h15min - Atualizada em 03/04/2020 às 13h15min

​Uberlândia terá 10 mil testes rápidos para Covid-19

Kits serão viabilizados a partir de verba de indenização trabalhista, no valor de R$ 1 milhão, doada pela Justiça do Trabalho

DA REDAÇÃO
Na última semana, prefeito disse à imprensa que Prefeitura tentava adquirir testes dos EUA | Foto: PMU/Divulgação
A Justiça do Trabalho acatou, nesta quinta-feira (2), o pedido feito pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Uberlândia para liberar R$ 1 milhão para a compra de 10 mil testes rápidos para avaliação de pacientes com suspeita do novo coronavírus na cidade. A informação foi divulgada pela Prefeitura de Uberlândia nesta sexta-feira (3).

O autor da ação deferida pela juíza do Trabalho Tânia Mara Guimarães Pena, o procurador Paulo Veloso, reforçou que é preponderante a união das instituições para a superação da pandemia vivida pelo país. 

 
“A pandemia traz para os órgãos públicos o dever de atuarem em conjunto, de modo que o MPT, que foi atendido para o interesse público primário afim, decidiu pelo destino do recurso para esse tipo de exame, por serem os testes de suma importância para o controle da doença, já que permitem que o paciente doente tenha um diagnóstico mais rápido e limitando a disseminação do vírus”, avaliou Veloso.

A verba é oriunda do pagamento de indenização por danos morais coletivos, gerado após ação civil pública movida pelo MPT, que conta com representantes no Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19. Ainda segundo o procurador do Trabalho, o dinheiro deverá estar disponível nos cofres do Município na próxima semana. 

O teste rápido possibilita detectar, a partir da coleta de sangue, se o paciente produziu ou está produzindo anticorpos contra o novo coronavírus, desde que manifestados os sintomas da infecção ou em caso de ter tido contato com quem contraiu o vírus entre sete e dez dias antes da submissão ao exame. 

Em entrevista à imprensa na última semana, o prefeito Odelmo Leão informou que o Município já estava tentando providenciar testes rápidos indicados pelos médicos, que estão sendo produzidos nos Estados Unidos, e que podem ser mais efetivos na detecção do vírus. 


 

LEIA MAIS:
 


 

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »