25/11/2019 às 13h45min - Atualizada em 25/11/2019 às 13h45min

Suplente de Ismar Prado deve assumir cargo nesta terça-feira (26)

Sessão especial na Câmara de Uberlândia oficializou renúncia do vereador

NILSON BRAZ
Sessão especial foi realizada nesta segunda-feira (25) na Câmara de Uberlândia | Foto: Camila Martins
A renúncia do vereador Ismar Prado foi oficializada, nesta segunda (25), em uma sessão especial na Câmara Municipal de Uberlândia. O presidente da Casa, Hélio Ferraz-Baiano (PSDB), leu a carta de renúncia vereador, que tinha sido protocolada na última sexta-feira (22), depois de um acordo de não-persecução penal entre Prado e o Ministério Público Estadual (MPE). O suplente que irá assumir a vaga será o advogado Marcelo Mendes Cunha (PPL), que recebeu 1.002 votos no último pleito, e era assessor de Prado.

O acordo entre Prado e MPE aconteceu depois de o vereador ter assumido o desvio da verba indenizatória, entre os anos de 2016 e 2018, utilizando uma empresa de fachada. A empresa em questão é a Ideal Assessoria e Serviços, investigada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e também utilizada para desvios pelos vereadores Alexandre Nogueira e Juliano Modesto, que estão presos desde outubro.

Ainda hoje, Baiano comentou que não irá esperar o prazo previsto pelo regimento interno, que é de 48 horas, para dar posse a Cunha. O suplente deverá assumir a vaga nesta terça-feira (26), em uma nova sessão especial.

Marcelo Cunha conversou com a imprensa e comentou sobre a expectativa de assumir o cargo de vereador no último mês do ano.

 
“É um momento crítico, mas nós já estamos preparados para isso, para assumir, sabemos que vamos enfrentar uma situação complicada que o país está vivendo. Não só a cidade de Uberlândia, mas o país como um todo. Eu sou uma pessoa que trabalha na Casa há mais de 14 anos, a minha formação é de advogado, eu já fui até relator, assessor jurídico da comissão de finanças e orçamento, então já tenho conhecimento, eu sei como funcionam os trâmites, sei da LOA [Lei Orçamentária Anual, que deverá ser votada em dezembro], então não estou pegando ‘cru’, digamos assim, estou pegando com uma certa experiência e já sei quais os caminhos que eu vou tomar”, disse Cunha. 

O suplente comentou ainda sobre qual será a postura dele quanto aos assessores do vereador Ismar Prado. “No momento eu vou continuar [com os assessores], porque eu também não acho justo você pegar e colocar 15 pessoas na rua, deixar eles desempregados, principalmente agora no final do ano. Então no primeiro momento eu vou continuar com essas pessoas, a não ser um assessor que eu vou trazer agora de imediato, mas o restante eu vou esperar mais um pouco, vou conversar com as pessoas, porque eu não acho justo isso [exonerar].” 
 
VERBA INDENIZATÓRIA
Após a revelação de esquemas com o uso de verba indenizatória, o presidente da Câmara declarou que irá colocar em vigor, no ano que vem, a obrigatoriedade de que os gastos de gabinetes sejam licitados.

“Nós, vereadores, nesta mesa diretora que assumimos dia 1º de janeiro de 2019, sentimos por bem que estaremos fazendo a licitação de toda verba indenizatória para as atividades parlamentares dos vereadores a partir de janeiro de 2020. [Essa mudança] Foi planejada bem antes desses fatos que ocorreram na cidade de Uberlândia.”
 
MAIS SUPLENTES
Nesta segunda, completaram também os 30 dias do pedido de prisão preventiva dos vereadores Alexandre Nogueira e Wilson Pinheiro, presos no mês passado durante as investigações da operação O Poderoso Chefão, que investiga desvio de recursos municipais de transporte escolar.

O presidente da Câmara, Baiano, já havia dito, em ocasiões anteriores, que os suplentes só poderiam ser convocados após 30 dias do afastamento dos titulares, prazo estipulado pelo regimento interno da Câmara. Porém, ontem, Baiano disse que ainda não irá convocar os suplentes de Pinheiro e Nogueira, visto que, em sua avaliação, o prazo para convocação deve ser contado a partir de 4 de novembro, dia da primeira sessão ordinária do mês. 

“É uma licença compulsória [a de Pinheiro e Nogueira], nós temos que cumprir o prazo diante as sessões ordinárias da casa. Por força maior, nós estaremos convocando os suplentes no dia 4 [de dezembro]. Anunciando a convocação e estipulando [a posse] no dia 4 ou dia 5.”

 




 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »