20/11/2019 às 18h37min - Atualizada em 20/11/2019 às 18h37min

Réus do caso de empresário morto no Distrito Industrial começam a ser ouvidos

Audiência de instrução está prevista para a tarde desta quinta-feira (21) no Fórum de Uberlândia; filha é apontada como mandante do homicídio de Lourival Camilo de Souza

CAROLINE ALEIXO
Crime ocorreu na empresa de transportes do empresário, de 72 anos, no mês de setembro| Foto: Diário de Uberlândia
A audiência de instrução dos quatro réus acusados de participar do homicídio de Lourival Camilo de Souza, de 72 anos, está prevista para ocorrer na tarde desta quinta-feira (21), às 14h50, na Vara de Crimes contra a Pessoa da comarca de Uberlândia. O empresário foi encontrado morto dentro da empresa, no bairro Distrito Industrial, em setembro. 

Na ocasião também devem ser ouvidas as testemunhas de defesa e acusação. Foram denunciados pelo crime Maiza de Souza, Samuel Matos, Hanner Wallisson de Lima e Elias de Paula. Com exceção de Samuel, que responde ao processo em liberdade, os demais réus continuam presos preventivamente no Presídio Professor Jacy de Assis.

A Polícia Civil indiciou os quatro pelo crime de homicídio duplamente qualificado mediante pagamento e por ter sido praticado sob traição ou emboscada que impossibilitou a defesa da vítima. Maiza, filha de Lourival, foi apontada nas investigações como a mandante do assassinato e chegou a ser presa pela Polícia Militar (PM) no velório do pai. 

RELEMBRE O CASO
O assassinato foi registrado na manhã do dia 3 de setembro quando um motorista da empresa de transportes da vítima encontrou o corpo do proprietário com três perfurações de bala. O cadáver estava nu em cima de uma cama e ensanguentado.

A equipe da perícia técnica da Polícia Civil constatou que o crime ocorreu por volta das 22h de segunda (2) e que as portas da empresa haviam sido arrombadas com chutes. Segundo familiares, a vítima costumava dormir no imóvel. Maiza chegou a informar aos policiais que havia sumido a quantia de R$ 300 da carteira do pai.

Durante rastreamentos da PM e integrantes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), foram detidos os cinco suspeitos de participação no crime. Um menor também responde a processo que tramita na Vara da Infância e Juventude.

Segundo a PM, Elias e o adolescente foram apontados como os executores do homicídio, Samuel teria emprestado a arma e Hanner intermediou o crime junto aos executores a mando de Maiza. 

A motivação do crime estaria ligada a uma disputa patrimonial da família. 

 





 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »