23/09/2019 às 16h24min - Atualizada em 23/09/2019 às 16h24min

Nova reunião é marcada para debater crise hídrica no Triângulo Mineiro

Audiência pública acontecerá na tarde desta terça-feira (24) na sede do Ministério Público Estadual em Uberlândia

DA REDAÇÃO
Reunião será realizada na sede do MPE em Uberlândia | Foto: Arquivo Diário de Uberlândia
A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor realizará, nesta terça-feira (24), a segunda audiência pública para debater sobre a crise hídrica na região do Triângulo Mineiro. O objetivo é discutir e entender como as cidades estão lidando com a situação e propor medidas para o consumo consciente de água. 

Segundo o promotor de Justiça Fernando Martins, foram convidados todos os municípios que estão sob a jurisdição da coordenadoria regional do Procon Estadual. A reunião será realizada no auditório da sede do Ministério Público Estadual (MPE), em Uberlândia, localizada na rua São Paulo, 95, bairro Tibery. A audiência é aberta ao público e começa a partir das 14h.

O convite também foi estendido ao Corpo de Bombeiros, Polícia Militar (PM), Polícia Civil, superintendências de ensino e demais promotorias de Justiça. 

UBERLÂNDIA
Na última terça-feira (17), Uberlândia recebeu a primeira reunião do gabinete para gerenciamento de crise apenas com representantes do Município e órgãos locais. Na ocasião, foram discutidas medidas de segurança hídrica.

O gabinete foi criado após a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor instaurar um procedimento preliminar para investigar a situação hídrica da cidade. A investigação foi iniciada a partir de uma representação protocolada no MPE, pelo professor da Universidade Federal Uberlândia (UFU) Eduardo Macedo de Oliveira, e de reclamações de consumidores que alegaram falta de água no último fim de semana, principalmente na zona leste da cidade.

“Criei esse gabinete porque vi que a situação é precária mesmo. Recebemos reclamações dos consumidores e precisamos saber se o Dmae está fazendo racionamento e não está avisando ou realmente está faltando água. Essas coisas têm que ser esclarecidas”, disse o promotor Fernando Martins ao Diário de Uberlândia.

 

O gabinete reúne representantes do Departamento de Água e Esgoto (Dmae), Prefeitura de Uberlândia, da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), Superintendência Regional de Ensino (SRE), de hospitais particulares, de órgãos de segurança como Corpo de Bombeiros e Polícia Militar de Meio Ambiente, entre outros. 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »