07/03/2019 às 15h58min - Atualizada em 07/03/2019 às 15h58min

​Autor confesso do assassinato de pai e filho está foragido de Uberlândia

Polícia Civil pediu a prisão preventiva, mas não localizou jovem na cidade; família faz manifestação em frente à delegacia

IGOR MARTINS
Família das vítimas fez manifestação na porta da delegacia de Uberlândia | Foto: Igor Martins
O jovem que confessou a autoria do duplo homicídio de Valdomiro Pacheco e Flávio Pacheco teve a prisão preventiva decretada, porém se encontra foragido. A Polícia Civil tentou fazer o cumprimento do mandado nos últimos dias, mas acredita que ele já esteja fora da cidade. O assassinato ocorreu no bairro Brasil, dentro de um bar, no mês passado.

O autor Marcus Winycius Cotrim, de 25 anos, chegou a se apresentar espontaneamente após o crime e assumiu a autoria dos assassinatos, inclusive entregando a arma de fogo que teria utilizado. Mas como ainda não havia mandado contra ele, e não houve flagrante do crime, ele só prestou depoimento ao lado do advogado e foi embora.

A Polícia Civil esclareceu a situação à imprensa e aos familiares da vítima, no início da tarde desta quinta-feira (7), que se concentraram na delegacia para protestar por justiça.

“Eu só posso prender alguém em flagrante delito ou por ordem do juiz. Depois de ouvi-lo, nós representamos pela prisão preventiva e fizermos diversas diligências na última semana, mas ainda não o localizamos. Fomos em vários endereços que nos levam a afirmar que ele está fora da cidade”, disse o delegado de Homicídios Flávio Ruz.

O delegado chegou a ouvir a esposa de Flávio, grávida de nove meses, e aguarda a oitiva de outras duas testemunhas para finalizar o inquérito. Ele pediu ainda que se a população tiver qualquer informação, possa auxiliar a polícia a encontrar o autor.


Delegado Fábio Ruz Uberlândia

Delegado Fábio Ruz Uberlândia


Delegado de polícia, Fábio Ruz, fala sobre o andamento do inquérito | Foto: Igor Martins

MANIFESTO
Alguns familiares das vítimas Valdomiro Pacheco, 23 anos, e Flávio Pacheco, de anos 42, acompanharam a esposa de Flávio no depoimento e aproveitaram para fazer uma mobilização em frente à Delegacia de Plantão da Polícia Civil, no Bairro Marta Helena.

“Queremos o mínimo esperado dessa situação, que é a justiça. Porque o rapaz tirou duas vidas sem nenhum motivo, saiu e entrou por essa porta e até agora está solto”, disse o primo e sobrinho das vítimas, Patrick Pacheco.

A mãe de Flávio e avó de Waldomiro também esteve no local e conversou com a imprensa, bastante emocionada.
“Nós estamos sofrendo muito, meu filho era muito trabalhador e esse bandido não pode ficar impune. O Brasil não tem lei pra prender esse cara pelo que ele fez. Eu não estou dormindo, não estamos comendo direito, de sofrimento de ver ele solto. Ele tem que pagar, tem que ser preso”, desabafou Sônia Pacheco.

DEFESA
O advogado do suspeito, Flávio Teixeira, está acompanhando os procedimentos do inquérito policial e afirmou que não teve contato recente com o cliente, apenas com os familiares que também não sabem a localização dele.

 “A partir do encerramento do inquérito é que a gente vai poder dar maior detalhes sobre a situação do Marcus. Quando ele for indiciado e denunciado, vamos tomar as devidas providências”, disse.

O CRIME
crime aconteceu no dia 17 de fevereiro, em um bar localizado na rua Padre Américo Ceppi, no bairro Brasil. Segundo informações da Polícia Militar (PM), as vítimas começaram a discutir com o autor dentro do estabelecimento, quando ele sacou uma arma de fogo e disparou contra as mesmas.

As câmeras de segurança do estabelecimento mostram o momento em que o jovem de 23 anos se aproxima da mesa do autor e, em seguida, o pai chega atrás. O autor então se levanta e atira primeiro contra o filho e depois contra o pai dele.

As vítimas não resistiram aos ferimentos e morreram no local. O autor fugiu em um carro de cor preta e se apresentou à polícia apenas nesta terça. 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »