11/11/2018 às 08h00min - Atualizada em 11/11/2018 às 08h00min

“Racha dos Velhos Malandros” homenageia craques da cidade

O volante Dante e o meia Hugsmar brilharam no futebol uberlandense nas décadas de 1970-80

ÉDER SOARES
Foto: Cleiton Borges
Pelo sétimo ano seguido, o jornalista Celso Machado organizou o “Racha dos Velhos Malandros”, que foi criado para homenagear grandes nomes ligados ao esporte de Uberlândia. Nesta edição, o Racha teve como protagonistas o lendário volante Dante, da célebre equipe do Uberlândia Esporte Clube que se destacou nas campanhas do Campeonato Mineiro de 1979 e no Campeonato Brasileiro da Série A daquele mesmo ano, quando ficou na 9ª colocação, e o meia Hugsmar, que vestiu a camisa do Verdão mas brilhou também no futebol amador e no futsal.

O Racha dos Velhos Malandros aconteceu na tarde da última quinta-feira (8), no Cajubá Country Clube e contou com outros jogadores que fizeram a história do futebol local, além de personalidades locais conhecidas. Para Celso Machado, o evento é fundamental para fazer justiça àqueles que representaram com honra o esporte da cidade.

“Foi uma forma que encontramos de realmente homenagear estas personalidades tão especiais. No caso do Dante e do Hugsmar são, sem dúvidas, dois desportistas natos e que honraram a história da nossa cidade, do Uberlândia Esporte Clube e do esporte em geral. Já fizemos outras homenagens e vamos seguir com o Racha dos Velhos Malandros para mais anos”, disse Machado.

Dante começou a carreira como jogador profissional em Taquaritinga, cidade do interior de São Paulo. Jogou pelo Guarani de Campinas, Rio Preto, Internacional de Porto Alegre e fez história no futebol matogrossense pelo Operário, onde foi pentacampeão estadual.

Em 1979 veio para o Uberlândia Esporte e atuou numa equipe notável que tinha jogadores como Fernando, zagueiro que veio do Vasco, Dirceu Lopes (no finalzinho de carreira) e Mairon Cesar, dentre outros.

Naquele ano, o Verdão ficou em quarto lugar na Taça Minas Gerais, o que levou o time a disputar a Taça de Prata, torneio que hoje seria o Brasileirão Série B. As seguidas contusões  levaram Dante a encerrar a carreira no fim da década de 80. No entanto, dois anos depois, por insistência dos amigos da UFU, voltou a atuar pelo XV de Novembro, outra equipe profissional da cidade, tendo participado de sua subida para disputar a Primeira Divisão do futebol mineiro. Seu estilo clássico de jogar lembrava o do notável Ademir da Guia. “Fiquei muito feliz em receber esta homenagem do Racha dos Velhos Malandros, feito pelo Celso Machado, pois é o reconhecimento de um período no qual tentei fazer o melhor pelo Uberlândia Esporte Clube”, disse Dante.

Hugsmar

Hugsmar foi considerado por muitos amantes do futebol de Uberlândia como um “grande talento” e que só não fez carreira no futebol brasileiro porque não quis. Iniciou no futebol na famosa pracinha em frente ao colégio Estadual de Uberlândia, mais conhecido como “Museu”. Versátil, foi também um ótimo jogador de voleibol.

Quando atuava pela equipe profissional do Uberlândia Esporte seu estilo, que misturava inteligência e habilidade, chamava a atenção.  Recebeu convites de inúmeros olheiros dos grandes times nacionais, dentre eles o Vasco da Gama.

Também músico e radialista, não se interessou em deixar Uberlândia para seguir carreira em outros lugares. No futebol amador sempre foi uma das principais estrelas do time mais vitorioso que a cidade já teve, o Ômega Esporte Clube. Na lista dos maiores craques do futsal de Uberlândia, Hugsmar sempre foi destacado pela técnica, habilidade e inteligência em campo.

“Eu tive a honra de participar de outras edições do Racha, mas agora ser homenageado tem um gosto muito especial, ainda mais sendo ao lado deste grande nome do nosso futebol, que é o Dante. Agradeço muito ao Celso pela oportunidade e espero estar presente pelos próximos anos”, afirmou Hugsmar.

Homenageado surpresa

Durante o Racha dos Velhos Malandros, a diretoria do Cajubá aproveitou a oportunidade para homenagear ainda Eduardo Jorge Hubaide, um de seus desportistas mais antigos e que fez história pelo clube, onde foi presidente e diretor social. “O Jorge tem a sua história ligada ao esporte do Cajubá. Apesar da pouca estatura, ele joga basquete há 22 anos no clube, está com quase 70 anos e tem uma presença sempre intensa em várias modalidades esportivas. Essa homenagem foi por ele ser uma das referências como exemplo de conduta”, disse Celso Machado.

Além de Dante e Hugsmar, participaram do evento ex-jogadores do Verdão como Edgar Maia, Paulo Luciano, Maurinho, Mairon Cesar, Moacir, Banga, Estrangão, Ramiro, dentre outros. Nos anos anteriores os homenageados foram Fazendeiro, Renato, Ferreira, Guegué, Neiriberto, Estrangão e Vilfredo.


O volante Dante e o meia Hugsmar brilharam no futebol uberlandense nas
décadas de 1970-80 | Foto: Cleiton Borges
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »