07/11/2018 às 07h44min - Atualizada em 07/11/2018 às 07h44min

Seu Jorge investe e música e atuação

Artista brasileiro radicado nos estados unidos lançará disco em 2019 e estará na TV e também em três filmes

FOLHAPRESS
Seu Jorge terminou série de shows em Los Angeles e está no Brasil filmando seriado | Foto: Divulgação
Quando não está fazendo crochê na sua conta do Instagram ou jogando games de futebol no Playstation, Seu Jorge se divide entre a música e o cinema. Os últimos meses, por exemplo, foram dedicados ao novo álbum do cantor e compositor, gravado em Los Angeles, e os próximos serão voltados à atuação em um novo seriado no Brasil e a divulgação de três longa-metragens.

"É um processo de desconexão de um lugar para outro. Música e cinema são duas práticas e sentimentos diferentes. Faço isso com o maior prazer, já estou calejadinho", disse o músico de 48 anos à repórter, após um show em Los Angeles.

"No cinema, estou lá para servir, sou só um instrumento, sou guiado. Já na música é o contrário, todo mundo trabalha para que eu aconteça. Trabalho com solidão, com minhas ervas ali, com parcerias."

O novo álbum tem título provisório de "The Other Side/O Outro Lado" e foi feito no estúdio de Mario Caldato Jr., famoso por ter trabalhado com os Beastie Boys e hoje procurado por grandes nomes da música brasileira. No disco, que deve ser lançado no ano que vem, haverá inéditas e regravações, como uma canção de Milton Nascimento, e convidados como Maria Rita e Zap Mama, grupo da belga Marie Daulne.

Ele tem trabalhado nas músicas nos últimos cinco anos e promete um álbum "mais bossa, mais clássico", com letras em português e inglês. "É um lado meu que as pessoas ainda talvez não tiveram oportunidade de conhecer", disse. "São músicas que podem ficar atemporais, 'timeless' como eles dizem aqui. É uma busca muito pessoal pela beleza, por aquilo que pode emanar nas pessoas e contagiar, criar uma atmosfera."

O show em Los Angeles, há duas semanas, foi um tributo a David Bowie e quase uma despedida da música. Seu Jorge voltou ao Brasil dois dias depois para começar as preparações para o novo seriado. "É sobre uma mulher batalhadora, de comunidade, e os desafios que enfrenta na vida. Vou fazer o irmão dela", contou, sem dar mais detalhes.

Em 2019, ele estreia ainda três filmes: "Pixinguinha: Um Homem Carinhoso" e "Mariguella", nos quais faz os protagonistas, além de "Abe", de Fernando Grostein Andrade.

Esta foi a terceira temporada do show de Seu Jorge no exterior com as músicas do filme "A Vida Marinha com Steve Zissou" (2004), com versões em português de clássicos de Bowie. Ele pontuou a apresentação contando histórias sobre a aventura de trabalhar com o diretor Wes Anderson. Disse que, como nasceu na favela no Rio de Janeiro, não conhecia a discografia de Bowie, "aquele cara que se parecia com o Billy Idol". E revelou que escreveu a versão de "Rebel Rebel" em 15 minutos, ao ser pressionado por um produtor na Itália.

"Sua música é tão complexa, tem tanta poesia", disse no camarim. "Bowie fez muita diferença na minha vida. Era bom ator também, estava sempre à frente de todo mundo. Tento seguir seus passos agora."
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »