04/11/2018 às 05h00min - Atualizada em 04/11/2018 às 05h00min

Começa temporada do voleibol para o Dentil/Praia Clube

Equipe terá como primeiro desafio o Campeonato Mineiro na próxima segunda-feira em BH

Éder Soares

Norte-americana Carli Lloyd é uma das apostas do Praia Clube para a temporada (Ascom/Praia)
Com mais de três meses de preparação intensa, entre treinamentos e amistosos, finalmente começará a temporada de competições do calendário 2018/2019 para o atual campeão da Superliga Feminina de Vôlei. A partir desta semana, o Dentil/Praia vai iniciar uma escalada para participar de seis importantíssimas competições, justamente o dobro de campeonatos disputados na última temporada. O time tem pela frente: Campeonato Mineiro, Supercopa, Superliga, Mundial de Clubes, Copa Brasil e Campeonato Sul-americano.

Logo de início, o time uberlandense vai encarar uma verdadeira maratona de jogos e viagens. Nesta segunda-feira (5), às 20h, a equipe praiana enfrenta o Brasília – o time do DF disputa o torneio de MG - pela primeira rodada do Campeonato Mineiro, competição que seguirá na capital mineira até a quarta-feira (7). Em seguida, o time viaja direto para Fortaleza (CE), onde, no dia 10, faz a final da Supercopa diante do Osasco (SP).

Uma breve passagem em Uberlândia e nova viagem rumo à São Paulo, onde acontecerá a estreia na Superliga Feminina, dia 13, contra o Pinheiros. Vinda para Uberlândia? Nada disso. Ida ao aeroporto da capital paulista e voo direto para Santa Catarina, para duelo diante do Camboriú pela segunda rodada da competição nacional. A equipe só volta para casa no dia 20, quando enfrenta o Curitiba (PR) novamente pela Superliga.

Depois de enfrentar o Brasília, dia 23, na Arena Praia, e São Caetano (SP), dia 26, no ABS Paulista, as meninas do Praia embarcam rumo a China, onde, pela primeira vez na história, o clube disputará o Mundial de Clubes. A tabela oficial ainda não foi divulgada, mas o Praia figura no grupo B que tem ainda as equipes do Altay VC (Cazaquistão), Eczacibaşi (Turquia) e o Supreme (Tailândia). Já o Minas Tênis, que também representará o Brasil na competição, está no grupo A com Zhejiang Jiaxing (China), Vakifbank (Turquia) e o Volero Le Cannet (França).

Supervisor da equipe e um dos responsáveis pela logística da equipe, Bruno Vilela garante que o clube está preparado para a correria de seis competições da temporada. “Tivemos o cuidado de montar a equipe com jogadoras de variadas características, pois com tantas competições importantes precisaremos de um grupo completo em todos os quesitos. Tivemos uma pré-temporada muito bem-feita e agora é buscar o melhor entrosamento”, disse.

Nova Equipe
Do atual grupo praiano, que conta com 15 atletas, sete são novidades para essa temporada, com destaques para as contratações da central Carol, da ponteira Rosamaria e da levantadora norte-america Carli Lloyd. Deixaram a equipe atletas campeãs na última temporada, casos das centrais Walewska e Natasha, da levantadora Claudinha e da ponteira Amanda.

Já um dos principais responsáveis pelo sucesso da equipe, o técnico Paulo Coco, continua firme no comando técnico. Apesar da maratona que o time tem pela frente e de ter um time bastante renovado em relação ao último ano, ele entende que o Praia novamente brigará por títulos.“Uma equipe que conta com a estrutura que tem o Praia e com jogadoras renomadas intencionalmente, só pode estar na briga por títulos. Será uma temporada dura, de muitos desafios e superações, principalmente porque neste começo de jogos precisaremos dar entrosamento rapidamente para o time”, disse Coco, referindo-se às quatro jogadoras que estavam na Seleção Brasileira, casos de Carol, Rosamaria, Fernanda Gary e Suelen, além de Lloyd na Seleção dos Estados Unidos e que se apresentaram na última semana.  

Maestrina
Para esta temporada, o Dentil/Praia fez opção de trocar a sua armadora das jogadas. Saiu Claudinha, que se transferiu  para o Osasco e veio a norte-americana Carli Lloyd, de 29 anos, considerada pela crítica esportiva mundial como uma das melhores em sua posição e que brilhou por grandes equipe do voleibol europeu. A intensão da comissão técnica praiana é ter uma jogadora mais versátil, e principalmente com maior velocidade na distribuição das jogadas, quesito fundamental para fugir dos bloqueios bem montados ao longo da Superliga.

Diário: Como é para você integrar uma equipe campeã brasileira?
Lloyd: Sei que o Praia Clube teve uma ótima temporada ano passado e trabalharam muito para ganhar a Superliga. Por isso, fiquei honrada quando me convidaram para fazer parte dessa equipe. Estou empolgada em estar aqui e ansiosa para começar a treinar e descobrir o que somos capazes de fazer juntas.
 
Diário: A sua compatriota, Nicole Fawcett, teve influência em sua decisão de vir?
Lloyd: Nicole foi a primeira pessoa para quem liguei quando o Praia me convidou para integrar a equipe, pois queria saber como ela se sentia aqui. Ela disse que amou o local, gostou da temporada e disse que Paulo é um ótimo treinador, o que é importante para mim. Ela também contou que adora as colegas de equipe, que se sentia em casa em Uberlândia e também falou sobre como o Praia Clube é um local bonito e com atmosfera agradável. Basicamente, não ouvi nada negativo. Portanto, foi uma escolha muito fácil”.

Diário: Espera se entrosar logo com a equipe?
Lloyd: Todo ano é um novo processo e para toda nova temporada é preciso tempo. Sei que muitas das minhas colegas de equipe estiveram com a Seleção Brasileira e tiveram um longo verão, portanto sei que seremos pacientes umas com as outras e aprenderemos as necessidades de cada para obtermos sucesso. Esta equipe é cheia de jogadoras sensacionais e estou empolgada em descobrir nosso ritmo de jogo. É sempre empolgante ver como tudo se encaixa em uma nova equipe.

Diário: O que você destaca de mais positivo em seu jogo?
Sou levantadora e tenho sido desde que tinha 11 anos de idade, então essa é minha habilidade principal. Eu me dedico ao máximo na academia para ser o mais forte que posso e ser a mais ágil possível em quadra. Estou acostumada a jogar um voleibol rápido. Nos treinos da Seleção Americana jogamos um voleibol rápido, então é uma habilidade que eu treino bastante e, por isso, posso oferecer uma defesa muito ágil. Também, é muito importante para mim estar alinhada com minhas colegas de equipe e com a comissão técnica.

Notícias Relacionadas »
Comentários »