01/11/2018 às 08h34min - Atualizada em 01/11/2018 às 08h34min

Duas mil vozes cantarão pela paz

Corais de Uberlândia e região se juntam, amanhã, em evento que marca a 11ª Semana da Cultura Popular

ADREANA OLIVEIRA
Algumas das vozes que estarão na apresentação de amanhã durante ensaio | Foto: Thaneressa Lima/Divulgação
Há 11 anos acontecia, em Uberlândia, a primeira edição da Semana da Cultura Popular e o 1º Seminário de Economia da Cultura. Em 2018, a 11ª edição da semana será marcada por uma apresentação desafiadora e impactante: apresentação de um coral com duas mil vozes no projeto “Vozes cantam a paz” na esplanada do Teatro Municipal de Uberlândia. Cogitou-se realizá-lo em outro loca, mas a esplanada foi mantida por não haver previsão de chuvas para amanhã. Já o seminário foi transferido para 2019 por conta das próximas definições políticas que virão por conta da mudança de governo no País.

O idealizador dos dois projetos é Rubem dos Reis, da produtora Balaio do Cerrado e parceiro de muitos anos do Grupontapé. Com a parceria do Conservatório Estadual de Música Cora Pavan Capparelli e de diversos corais da cidade, ele espera que esse momento traga um pouco de serenidade para tempos turbulentos. Qualquer coralista (individual, grupo ou familiar) pode se inscrever amanhã (confira link no quadro ao lado) para fazer parte deste momento que deve ficar marcado na cena cultural da cidade.

“A proposta da Semana da Cultura popular sempre foi trazer uma ação interessante e que tenha algum significado para a sociedade e para a comunidade artística. Neste momento em que a intolerância tem tomado conta de muitas relações, vejo que o canto voltado para temáticas da paz é algo que pode unir mais as pessoas”, comentou Rubem.

Rubem foi coralista durante boa parte da vida e afirma que quando as pessoas se juntam para cantar algo transformador pode acontecer ao seu redor. “As vozes cantam em harmonia e os corações começam a bater no mesmo ritmo. Se estamos em um País dividido primeiro precisamos tentar consertar nossas relações pessoais, que também estão divididas”, comentou.

A parceria como Conservatório Estadual é imprescindível para a realização do projeto. “Os professores estão super entusiasmados, têm levado pais para ensaiarem com os filhos em sala e isso é muito valioso. Instituições como os conservatórios estaduais somam muito para uma cidade. Tente imaginar o que seria de Uberlândia sem ele. Já foram mais de 30 mil alunos, famílias inteiras que se formaram ali e não só para o campo musical, mas para a vida”, disse Rubem.
Além de alunos, ex-alunos e familiares mobilizados pelo conservatório, o evento terá ainda a participação de cerca de 40 corais da região.

Para ele, a música e a arte em geral devem ser vistos menos como passatempo e mais como investimento no ser humano. “É comprovado que crianças que fazem música desde cedo tornam-se adultos com mais facilidade para se inserir no mercado de trabalho. Esse impacto é algo que ainda não tem como ser mensurado mas faz muita diferença no desenvolvimento de uma nação”, disse o produtor.

Com apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC), o coral com duas mil vozes é um ensaio para algo maior. Se tudo correr, no próximo ano a ideia é chegar ao Livro dos Recordes com o maior número de vozes em  um coral não religioso. Faria companhia para a Maior Orquestra de Viola Caipira do Mundo, formada em Uberlândia e certificada pelo Guinness Book.
Riquezas
Rubem dos Reis, nascido “por acaso” em São Paulo, é de família gaúcha e foi criado no Sul do País.  Há 24 anos escolheu Uberlândia como seu lar. “Tinha uma produtora de eventos em São Paulo e vim fazer um evento para a Algar, no qual participava o Grupontapé de Teatro. Ali começou uma relação de parceria que fez com que eu escolhesse vir para Uberlândia, abrir uma produtora cultural, e seguir minha vida aqui”, recorda.

Talvez, por conta desse olhar um tanto estrangeiro, Rubem tenha olhos para a cena cultural de Uberlândia que poucos percebem. “Para mim, Uberlândia é o segundo celeiro de artistas do estado de Minas Gerais. Às vezes falta um olhar mais atento para isso. E vale lembrar que só a criatividade pode nos tirar do buraco em que nos enfiamos e ela só se manifesta em um ambiente onde existe a diversidade”, afirmou.

SERVIÇO
O QUE: Vozes Cantam A Paz em Uberlândia
QUANDO: amanhã (2), a partir das 19h
LOCAL: esplanada do Teatro Municipal de Uberlândia
ENTRADA FRANCA
CLASSIFICAÇÃO: livre
INSCRIÇÕES: https://goo.gl/forms/XftbBNWQyOYipSVj2
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »