02/11/2017 às 17h18min - Atualizada em 02/11/2017 às 17h18min

Vacinação contra aftosa vai até 30 de novembro

Produtor que não vacinar o rebanho estará sujeito a multa de R$ 81,28 por animal

AGÊNCIA MINAS | BELO HORIZONTE

A segunda etapa de vacinação do rebanho mineiro contra a febre aftosa está em vigor desde o dia 1º de novembro. Os produtores rurais terão até o dia 30 de novembro para vacinar bovinos e bubalinos de sua propriedade com idade de zero a 24 meses. O produtor que não vacinar o rebanho estará sujeito a multa de R$ 81,28 por animal não vacinado.

A vacinação é obrigatória e é a única forma de proteger os animais contra a doença. A vacinação é importante e garante o status de área livre de febre aftosa junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o que tem viabilizado as exportações de animais e produtos de Minas para o mercado internacional.

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) - órgão responsável por supervisionar e fiscalizar a vacinação do rebanho – estima que deverão ser vacinados nesta etapa cerca de 9,5 milhões de bovinos e bubalinos em todo o estado.

Além de vacinar o rebanho, os produtores devem obrigatoriamente declarar ao IMA a vacinação dos animais. Caso não faça essa declaração ao instituto, o produtor estará sujeito à multa de R$ 16,25 por animal.

A partir deste ano, só poderão fazer a declaração de vacinação presencialmente em uma unidade do IMA os produtores que sejam proprietários de até 149 animais. Os demais, com plantel igual ou superior a 150 bovinos ou bubalinos, deverão declarar a vacinação do seu rebanho contra a febre aftosa exclusivamente por meio do site do IMA. Os proprietários devem usar seu CPF e ter em mãos o número da nota fiscal de compra de vacinas, que será a senha de acesso ao ambiente da declaração de vacinação no site.

 

NOVIDADES

A partir desta segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, o produtor terá que declarar o tipo de estabelecimento de criação - pecuária de leite, corte ou rebanho misto - e informar se utiliza 'estação de monta', que é a reprodução limitada a determinada época do ano para otimizar o manejo da fazenda, resultando na concentração de nascimentos de bezerros. O produtor deverá também informar a população de outras espécies da propriedade, tais como ovinos, caprinos e suínos, discriminando a faixa etária e sexo dos exemplares. A medida busca detalhar o perfil das fazendas com informações que irão subsidiar o IMA na adoção de medidas que auxiliem os produtores para a manutenção da sanidade dos rebanhos.  

 

EXPORTAÇÃO

Minas Gerais possui o segundo maior rebanho bovino do Brasil com cerca de 23,5 milhões de animais, de acordo com os registros do IMA. É o maior produtor de leite do país com 9,3 bilhões de litros/ano e exporta carne bovina principalmente para China (39,2%), Hong Kong (17,4%) e Rússia (8,5%), além de  outros  57 países em menor proporção.

De janeiro a setembro deste ano Minas Gerais exportou 105,9 toneladas do produto, somando faturamento de US$ 427,7 milhões, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), analisados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

A primeira etapa de vacinação do gado contra a febre aftosa ocorreu em maio deste ano quando foram imunizados bovinos e bubalinos independente da idade.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »