29/08/2017 às 05h46min - Atualizada em 29/08/2017 às 05h46min

Edital Rumos tem inscrições abertas

Com duas décadas de tradição, programa do Itaú Cultural recebe propostas de hoje até o dia 3 de novembro

ADREANA OLIVEIRA | EDITORA
Coletiva na manhã de ontem marcou o lançamento do edital 2018-2019 do Itaú Cultural, em São Paulo / Foto: Agência Ophélia/Divulgação

 

O Itaú Cultural, que comemora 30 anos em 2017, lançou, durante coletiva realizada ontem na sede do instituto em São Paulo, o edital do seu programa de fomento, o Rumos. As inscrições podem ser feitas de hoje até às 23h59 do dia 3 de novembro. Um dos principais diferenciais deste programa é que os projetos apresentados não precisam se adequar ao edital, que se dá por meio de respostas a 27 perguntas.

Com a participação de aproximadamente 50 jornalistas de todo o país, Rui Moreira e Karla Martins, da comissão de seleção, Ana de Fátima Sousa, gerente de comunicação e Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, falaram sobre algumas mudanças para a edição 2017-2018 do projeto e responderam às perguntas dos jornalistas.

Karla Martins, atriz acreana, participa pela segunda vez da comissão. Na primeira integrou o grupo que faz a primeira seleção e agora participa da fase final. Rui Martins, bailarino e coreógrafo que integrou por 14 anos o Grupo Corpo (MG), é debutante na função. “É parte da estratégia do Itaú Cultural renovar a comissão e ao mesmo tempo preservar parte dela para preservar a multiplicidade de pensamentos, já característicos dessa comissão”, disse Saron.

Nos últimos 20 anos, o programa passou por muitas transformações. Foram 53 mil inscritos e 1, 3 mil contemplados neste período, 40 deles de Minas Gerais, e há duas edições não há a necessidade de se moldar a uma área específica (música, dança ou teatro, por exemplo) e ampliou-se as áreas de atuação. “Mais importante do que as cenas culturais se adaptarem ao edital é o edital se adaptar às cenas culturais de suas regiões porque nossa proposta é o diálogo, a parceria com quem se inscreve”, explica Saron.

Segundo registro do Itaú Cultural, o programa já impactou seis milhões de pessoas no Brasil e no mundo. Nesta edição, espera-se um aumento no número de inscrições, que na edição passada foi de 15 mil. Chama atenção que nas últimas duas edições, entre os inscritos, 34% em 2015 e 27%, em 2017, se inscreviam em um edital pela primeira vez. “Nós oferecemos abertura para a conversa. Durante os períodos de inscrições respondemos até 20 mil e-mails com dúvidas dos inscritos e respondemos a todos”, comenta Ana Sousa.

Uma das novidades dessa edição é que o projeto pode ser modificado até o fechamento do edital. No mínimo seis pessoas leem um projeto na fase inicial. Na fase final, para selecionar pouco mais de uma centena de contemplados, todos da comissão leem os projetos. Fazem parte dela 12 convidados de diferentes áreas de atuação e 10 gestores culturais do Itaú Cultural. 

“No último edital sentimos forte a presença indígena e a discussão de gênero. O edital dialoga com a contemporaneidade”, afirma Karla. Para Rui Moreira, que chega agora, o Rumos não tem uma cara. “É composto pela diversidade que marca a arte e a cultura brasileira. Foi impactante esta última semana que passei com eles. Estar na comissão me traz para um momento de averiguação da minha sensibilidade de como contribui com o meu olhar para essa diversidade”, afirmou o bailarino.

 

VISIBILIDADE

Programa intensifica a presença em 10 estados

Na tentativa de montar esse mapa demográfico da arte e da cultural em um país de dimensão continental como o Brasil, os gestores do Itaú Cultural notaram que em dez estados a presença do programa está aquém do esperado. As caravanas Caminhada Rumos – Escuta passarão pelas 27 capitais brasileiras entre 4 de setembro e 26 de outubro. Porém, em 10 capitais a estadia será ampliada: Aracaju (SE), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Macapá (AP), Maceió (AL), Palmas (TO), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC) e Teresina (PI).

Na edição de 2016, somente dois estados não tiveram projetos contemplados no Rumos Itaú Cultural -  Roraima e Rondônia. “Precisamos saber mais dessas cenas. A complexidade da diversidade é um dos principais desafios do programa, por isso vamos ver de perto, nestes dez estados, como podemos contribuir com suas respectivas cenas”, disse Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural. 

Outra aposta do Itaú Cultural é em programas de acessibilidade. O preenchimento do formulário na internet poderá ser feito também por pessoas de baixa visão, cegas ou surdas. Também está prevista para começar na quinta-feira, e segue até 5 de novembro, a mostra Narrativas do Invisível – Mostra Rumos 2015-2016, que reúne um recorte da produção da edição passada do edital. O Rumos 2017-2018, 18ª edição do projeto, deve receber um aporte na casa de R$ 15 milhões.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »