03/12/2021 às 08h00min - Atualizada em 03/12/2021 às 08h00min

E o paradesporto segue trabalhos

ALBERTO GOMIDE
O paradesporto brasileiro comemorou no mês de setembro a inédita participação de seus atletas nas Paralimpíadas de Tóquio e o Dia Nacional do Paratleta (22). O Comitê Paralímpico Brasileiro ressaltou na oportunidade, a importância do esporte paralímpico e o seu crescimento no país. “Prova disso, foram o desempenho e as conquistas dos nossos atletas”, disse na época o diretor técnico Alberto Martins da Costa. 

A cidade de Uberlândia se destaca a nível nacional com o trabalho que realiza no esporte paralímpico. Tanto é assim, que dos 36 atletas que foram a Tóquio por Minas Gerais, 11 foram de Uberlândia, a maior delegação por estado do país. O resultado disso, é fruto do trabalho que o Município desenvolve junto a vários parceiros, beneficiando no âmbito esportivo um grande número de pessoas com deficiência na cidade, desde a iniciação até a participação em competições regionais, nacionais e internacionais.  

O programa, desenvolvido por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Uberlândia, FUTEL, SESI, UFU, associações e clubes que incentivam o esporte para pessoas com deficiência em Uberlândia, oferece modalidades, como atletismo, halterofilismo, bocha, vôlei sentado, futebol de sete, natação, parapdmington e goalball. 

Com esta parceria é possível oferecer melhor estrutura de treinamento, profissionais capacitados e especializados, maior número de vagas e, como consequência, representar de forma mais competitiva a cidade de Uberlândia nas competições regionais, estaduais, nacionais e internacionais. 

O principal objetivo do programa é garantir a este público o acesso à prática esportiva com a supervisão de profissionais especializados, em três grupos distintos, sendo: iniciação, treinamento e competição.
O trabalho e o incentivo na área de paradesporto tem alcançado grandes conquistas. Paratletas de Uberlândia são destaque em campeonatos regionais, nacionais e internacionais. Atualmente vários paratletas da cidade fazem parte do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) representando o país. 

A consolidação de Uberlândia como uma referência nacional em paradesporto tem relação direta com o trabalho desenvolvido pela Prefeitura de Uberlândia, por meio da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel), que investe nas modalidades paralímpicas e, mesmo durante a pandemia, manteve e segue com os treinamentos dos paratletas com chances de serem convocados para competições internacionais.

O resultado disso é que as associações parceiras da Futel foram representadas por três paratletas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio: Lara Lima (halterofilismo) e Mateus Carvalho (bocha), da CDDU/Futel, e Rodrigo Parreira – foto (atletismo), da Aparu/Futel. As atividades são oferecidas por meio de parcerias entre a Futel e quatro associações: o Clube Desportivo para Deficientes de Uberlândia (CDDU), a Associação dos Paraplégicos de Uberlândia (Aparu), a Associação dos Deficientes Visuais do Triângulo Mineiro (Adevitrim) e a Associação dos Deficientes Visuais de Uberlândia (Adeviudi).

“A Prefeitura de Uberlândia sabe da importância do paradesporto e investe em diversas modalidades. O resultado disso é que hoje temos em Uberlândia alguns dos principais paratletas do país, que muito nos orgulham dentro e fora das competições”, ressalta o diretor geral da Futel, Edson Cezar Zanatta.

Um dos exemplos é Lara Lima, halterofilista que já conquistou diversas medalhas em competições nacionais e internacionais, além de ter chegado aos Jogos Paralímpicos de Tóquio com apenas 18 anos de idade. “O paradesporto mudou a minha vida, pois me trouxe várias conquistas não só como paratleta, mas como pessoa. Conheci o halterofilismo ainda na infância e desde os 14 anos participo de competições estaduais, nacionais e internacionais”, disse.

Além das associações parceiras da Futel, Uberlândia foi representada também de maneira positiva por atletas do Praia Clube nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Um dos destaques foi o nadador Gabriel Bandeira, que individualmente conquistou uma medalha de ouro, além de Laila Abate e Gabriel Melone, também medalhistas. Pelo Praia foram ainda o tenista Gustavo Carneiro, os nadadores João Pedro de Oliveira, Ruan Felipe de Souza e Vanilton do Nascimento Filho e o treinador Alexandre Vieira. O paradesporto em Uberlândia retornou imediatamente às atividades após Tóquio, e já soma mais uma série de conquistas em importantes competições nacionais e internacionais. Próximo de fechar a temporada, inclusive os treinamentos, atletas têm a proposta de se cuidarem para retornarem com força logo no inicio de 2022. 


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.





Leia Também »
Comentários »