10/09/2021 às 08h00min - Atualizada em 10/09/2021 às 08h00min

VÔLEI DE MINAS DESBANCOU RJ-SP

ALBERTO GOMIDE
Divulgação
O vôlei feminino nacional era dominado, na primeira década e início da segunda, deste século, por Rio de Janeiro com a Unilever e São Paulo com o Osasco/Nestlé, entre outros clubes. Até 2017, a dupla mineira (Minas Tênis Clube e Praia Clube de Uberlândia) cumpriam papel de coadjuvantes na principal competição nacional, enquanto assistiam ao duopólio de Rio de Janeiro e São Paulo.

A partir dai, Minas Tênis e Praia passaram a investir alto e desbancaram cariocas e paulistas. Na Superliga 2017/2018, o Praia Clube de Uberlândia conquistou título inédito ao derrotar o Sesc-RJ e implodiu um domínio de 15 anos alternados entre cariocas e paulistas. Comandada por Bernardinho, a equipe do Rio (hoje Sesc-RJ/Flamengo) é a maior vencedora da competição, com 12 taças, e naquele ano vinha de cinco conquistas seguidas.

No ano seguinte (2018/2019), o Minas levou a melhor na decisão entre os dois mineiros. Nos últimos anos, Minas e Praia estão quase sempre nas decisões da Superliga e outros eventos nacionais. O Praia é um clube que surgiu em 10 de julho de 1935, em função do Rio Uberabinha, onde o pessoal nadava. O Praia chegou à Superliga em 2008, com o técnico uberlandense Spencer Lee, e firmou parceria com o grupo Arcom, responsável pela marca Dentil. Já disputou o Campeonato Sul-Americano, sendo vice-campeão em 2017, 2019 e 2020, e o Campeonato Mundial, ficando em 4º lugar em 2018.

O Praia não tem dado muita sorte nas decisões contra o Minas, quase sempre a equipe da capital leva a melhor, como foi novamente este ano. Nesta fase áurea do voleibol feminino em Uberlândia, os principais títulos conquistados pelo Praia Clube são: campeão da Superliga em 2017/2018, da Supercopa em 2018, 2019 e 2020, do Troféu Super Vôlei em 2020, campeão em 2008 e 2010, quando era ainda Liga Nacional, e ganhou o Campeonato Mineiro em 2006, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2019.
 
DENTIL/PRAIA BRIGA POR TÍTULO 2021/2022
 
Para a próxima temporada que está prestes a iniciar com as disputas, o Dentil/Praia começou cedo e já tem o grupo pronto para a Superliga Feminina. O comando técnico permanece com Paulo Côco, assim como várias jogadoras remanescentes. Nomes de destaques do voleibol feminino nacional e até internacional chegaram para compor um grupo forte e que visa a conquista do título este ano.

As novas contratadas e remanescentes que formam o grupo do Dentil/Praia para a temporada 2021/2022:
Ana Carolina da Silva (08/04/1991), de Belo Horizonte (MG);
Angélica Malinverno (05/07/1989), de Caxias do Sul (RS);
Anne Buijs (02/12/1991), da Holanda;
Brayelin Elizabeth Martínez (11/09/1996), de Santo Domingo (República Dominicana);
Cláudia Bueno da Silva (21/09/1987), de São Caetano do Sul (SP);
Jineiry Martínez (03/12/1997), de Santo Domingo (República Dominicana);
Lyara Batista Medeiros (19/09/1996), de Porto Alegre (RS);
Suelen Fernanda Santana Pinto (04/10/1987), de Belo Horizonte (MG);
Walewska Moreira de Oliveira, na foto (01/10/1979), de Belo Horizonte (MG);
Ariane Helena Pinto (27/01/1997), de Guarulhos (SP);
Jordane de Carvalho Tolentino (23/12/1985), de Comodoro (MT);
Juliana Cardoso Perdigão (05/04/1991), do Rio de Janeiro (RJ);
Kasiely Clemente (06/12/1993), de Nova Aurora (PR);
Tainara Lemes Santos (09/03/2000), de Jandira (SP);
Vanessa Janke (08/03/1991), de Pomerode (SC).
O técnico é Paulo do Rêgo Barros Júnior, o Paulo Côco, 54 anos (26/12/1967), natural de Olinda (PE), que comanda a equipe praiana desde 2017/2018.



Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
 
 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »