08/05/2021 às 09h00min - Atualizada em 08/05/2021 às 09h00min

Os números do Guardiola

ADRIANO SANTOS
DIVULGAÇÃO
A lenda como técnico e os números a mesa, Pep disputou 42 partidas com Barcelona B, 242 com Barcelona, 161 com Bayer e mais 250 com o City, a cada ano Pep se agiganta com números e feitos.

Último foi a eliminação do PSG em casa, são uma média de 80 a 90 jogos perdidos dos mais de 700 que já disputou.
Não são somente títulos, é uma identidade, uma proposta de jogo, conceitos, fórmula de sucesso, imposição técnica, variações e muita potência na diversidade do objeto.

São poucos mais de 12 anos de carreira, e o sucesso do Pep é notório. Revelando atletas e conduzindo histórias tudo começou no Barcelona B, revelando as estrelas Xavi, Messi, Iniesta e cia, no Barcelona foram simplesmente mais de 13 títulos conquistados, marca história e domínio na modalidade.

No City onde está atualmente já levantou mais 8 títulos, busca constante de resultados e o brilho nas conquistas, Pep.
Alem de ser um dos top 3 no mundo,  técnico de mais conquistas na história façanhas e a história. Em 2009 com Pep de treinador o Barcelona conquistou todos os títulos que conquistou.

O City foi time que mais obteve vitórias na Premier League na história da competição, 32 vitórias, Record era 18. City fez 635 gols e sofreu 214, saldo de incríveis 421 gols. O Barcelona deu 777 passes no jogo x Manchester United, o adversário fez apenas 357, foram 69% de posse bola, isso em apenas uma partida.

Acreditem se quiser. 5x0 foi o placar do histórico jogo x Real de Mourinho e mais de 50 mil torcedores, massacre e aula de futebol no Camp Nou.Já são no City 73,85% de Aproveitamento no City, 72,4% na Espanha e 75,1% na Espanha e 73,78% na Alemanha como treinador.

Pochettino já sabia, poucos dariam conta de dominar e jogar contra a história e o fundamento de Pep no City. Agora a Champions, terá Zinade x Homem dos números, a história x história.Guardiola não precisa provar nada a ninguém, mas precisará de um desafio, uma seleção, a cereja do bolo para um treinador, não um técnico, a diferença do trabalho talvez esteja no treino, não somente na condução dentro das quatro linhas.

Talvez quando Guardiola estiver já enfadado de ganhar títulos, da rotina desgastante de um clube, pensará numa seleção.
Pep é fantástico.



Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »