12/01/2021 às 08h00min - Atualizada em 12/01/2021 às 08h00min

Perdemos um grande companheiro

ALBERTO GOMIDE
Miller, no destaque, com o grupo | Foto: Divulgação

Foi na semana passada, mas o sentimento pela perda será eterno. São vários os tradicionais rachas entre os associados do Praia Clube. Entre eles, está o Racha “Amigos do Gomide”, coordenado por este colunista, mais Flamarion Leles e Robson Toledo, há mais de 40 anos, às terças e quintas (futsal) e sexta (campo), envolvendo, aproximadamente, 40 “atletas” no grupo das modalidades.

Semana passada, o grupo sofreu um duro golpe, com o falecimento de um atuante e antigo membro. Miller Rogério Couto Justino que, ainda jovem, passou a fazer parte dos rachas em ambas as modalidades. Tentar encontrar palavras para falar sobre os predicados de Miller é como procurar agulha na areia do deserto. Não as encontrará o suficiente para descrever sua pessoa. Miller foi amigo e companheiro na expressão máxima dos termos. Filho dedicado, inteligente e estudioso, sempre soube se conduzir em todos os sentidos. Formou-se em Direito, fez concurso para a Magistratura e assumiu o cargo. Menino que cresceu e tornou-se um homem honrado, justo e correto, em todos os segmentos da sociedade, profissional ou não. Exemplo e formação de berço.

O amor pela família, o trato com amigos e companheiros foi o seu comportamento ao longo desta rápida passagem por este mundo terreno. Em quadra ou em campo era bom de bola, sempre foi. Chegou à Seleção Mineira de Futsal, quando jovem. Foi um jogador clássico, habilidoso e finalizador. Armava o jogo com maestria. Era exigente com os objetivos do racha, não permitia jogadas mais violentas, chamava atenção dos companheiros. Afinal, o racha é um momento de lazer, de descontração. Miller nos deixou semana passada. Um vazio, uma lacuna que jamais será preenchida. Saudade sempre...

Clélio Antônio Neves, advogado, também um dos mais antigos nos rachas, publicou no grupo esta mensagem:

“Miller: É difícil saber que não vamos mais ouvir a sua voz ou ter você jogando do nosso lado como fizemos durante décadas. Ficou um vazio enorme, com certeza, no peito de cada um de nós, pois foi muito bom estar junto com você e usufruir da sua amizade dentro e fora de campo. É difícil acreditar que você foi embora de verdade. Você deixou um legado de paz, amizade de verdade, recordações ricas em nossa mente e muita alegria. É difícil sentir este vazio ao saber que sua presença física não estará mais junto de todos nós. É difícil vestir a camisa de luto na alma de cada um de nós do “Racha do Gomide”. Estamos com o coração amargurado, mas desejamos que você descanse em paz, Miller. Fica com Deus. Você já está com Deus”.

Nivio Vitor Pereira, Cap. PMMG da reserva, também se manifestou no grupo:

“Sem palavras... Miller, nobre Doutor Miller, atualmente estava na Vara de Família. Dobrava noites elaborando suas sentenças sob a pressão natural do TJ. Não se atinha a assessoria e gostava de trabalhar ele mesmo seus pareceres jurídicos. Em meio a toda essa pressão do Tribunal de Justiça cobrando-lhe prazos, achava um tempo para ainda jogar aquele rachinha de futebol nosso no Praia, e, na maioria das vezes, mal acabava o primeiro tempo, já ia embora rapidamente. Nem nas resenhas ficava, pois o compromisso para com o seu serviço falava mais alto. Sempre estava com um sorriso estampado e tratava a todos com carinho e respeito. Profissional de ilibada conduta moral e respeitadíssimo no mundo jurídico de Uberlândia. Esta é uma perda que nos abala e nos remete a uma reflexão mais acurada de nossas atitudes. Será que estamos agindo corretamente em meio a essa terrível peste? Reflitamos... o Miller era um atleta, novo e transbordava saúde e otimismo. E a “peste” o pegou... Pensemos. Deus, em sua infinita sabedoria, saberá dar o alento aos familiares e o acolherá em seu reino de glória. Orai e vigiai”.

O presidente do TJMG, Desembargador Gilson Soares Lemes, além de decretar três dias de luto, divulgou a seguinte mensagem:

“O Dr. Miller Rogério Couto Justino, além de um magistrado dedicado, operoso e altamente qualificado, era meu amigo de longa data, atuando com seriedade e independência na Comarca de Uberlândia”.


*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »