01/01/2021 às 08h00min - Atualizada em 01/01/2021 às 08h00min

Que cada um faça a sua parte em 2021

ALBERTO GOMIDE
Foto: Pexels

Um Ano Novo ou um Novo Ano. Não importa a ordem dos fatores. O que realmente importa é a nossa conduta ao longo de 2021. Após um ano desastroso, com o surgimento do coronavírus, só nos resta pensar e agir em busca do melhor. E tudo na vida depende muito da ação de cada um. E só vai mudar para melhor, se cada um fizer a sua parte na busca de um resultado que leve ao melhor.

Se cada um regar o melhor com um pingo d’água, o pior vai desaparecer, ainda que lentamente. Sem a participação de todos, a dor será maior, como vem acontecendo. E se cada um pensar e esperar que o outro vai fazer por você, o melhor dificilmente chegará. O simples encerramento do ano 2020 não significa que 2021 vai ser melhor. Só o será com a ação de cada um. E esta ação é o comportamento da sociedade num todo. Independente de coronavírus, as autoridades encontram dificuldades para superar os obstáculos. Em toda situação complexa, como estamos vivendo com o coronavírus, sem a participação e o comportamento positivo da sociedade, fica bem mais difícil. Andar na contramão dos responsáveis pela solução do problema não leva a lugar nenhum.

Aliás, leva sim, cria maiores dificuldades. Como exemplo, está aí o momento que vivemos. Contrariando todas as normas para conter o crescimento da pandemia, grande parte da sociedade ignora, contraria a necessidade de atos e ações que poderiam minimizar o problema. Sem a ação de cada um na busca do melhor, fica bem mais difícil atingir o objetivo, que é encontrar o melhor. Se cada um agir no sentido de evitar contaminação, estará dando importante parcela de contribuição para redução dos casos. Este procedimento não beneficia exclusivamente quem o pratica, mas toda a sociedade. Esta é a grande necessidade para o momento: conscientização individual em torno de um bem comum.

Que 2021 seja melhor, muito melhor, “De modo que os inimigos voltem à amizade, os adversários se deem as mãos e os povos procurem reencontrar a paz”, e que “A busca da paz vença os conflitos, que o perdão supere o ódio, e a vingança dê lugar à reconciliação”. (autor...)

E ainda: "Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o que me faltava e passei a olhar com gentileza para o que eu tinha, descobri que, na verdade, há muito mais a agradecer do que a pedir”. (autor...) 

“A vida passa, a morte chega, mas as lembranças e exemplos que podemos deixar duram a eternidade”. (da bióloga Ana Maria Coelho Carvalho, no artigo “Mistérios da Morte”)

*Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »