28/08/2020 às 15h50min - Atualizada em 28/08/2020 às 15h50min

UBERLÂNDIA ESTÁ NA ELITE DO VÔLEI BRASILEIRO

ALBERTO GOMIDE
A cidade de Uberlândia vive momento no ápice no voleibol do Brasil, com equipes representativas nas maiores competições nacionais na modalidade, feminino e masculino.

No feminino, está há alguns anos sempre com uma equipe de ponta na Superliga, inclusive com o título de campeão em 2017/2018, campeão também da Supercopa e participações positivas na Copa do Brasil, no Sulamericano e duas vezes no Mundial. A temporada 2019/2020 estava em plena disputa e foi encerrada com a crise do coronavírus sem ter um campeão. O Dentil/Praia liderava a disputa e era um dos principais candidatos ao título. Mas a CBV encerrou o campeonato sem proclamar um campeão.

No masculino não foi diferente, encerrando-se também o campeonato sem ter campeão. O Uberlândia Vôlei (Academia do Vôlei) disputava a competição e liderava as disputas. A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) se pronunciou, esclarecendo que não haveria equipe considerada campeã da Superliga Masculina 2019/2020. A competição foi encerrada devido à pandemia e a decisão foi tomada com votação dos 12 clubes participantes da edição, além da Comissão de Atletas. Ficou definido, no entanto, que os dois melhores classificados até então seriam classificados para a Superliga Masculina, categoria principal. Diante da decisão, o Uberlândia Vôlei está também na divisão de elite do vôlei brasileiro.

No momento, a CBV já trabalha para começar os campeonatos da temporada 2020/2021, no masculino e no feminino. Já houve, inclusive, uma reunião virtual na Superliga Masculina, quando discutiram a tabela e o calendário, mas sem uma data determinada para o início.

Durante a conferência, a principal entidade do vôlei brasileiro e todas as equipes apresentaram um rascunho da tabela, que está sob análise até o dia 31 de agosto. Na versão provisória da possível tabela para a Superliga 2020/2021, o Uberlândia Vôlei/Start Quimica enfrentaria pela ordem, sem data confirmada, o Taubaté, Montes Claros, Caramuru, Vôlei Renata, Guarulhos, Itapetininga, Apan/Blumenau, Sesi SP, Ribeirão Preto, Sada/Cruzeiro e Minas Tênis. Quando jogar em casa, o Uberlândia Vôlei mandará seus jogos na Arena Sabiazinho, em parceria com a Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel).

“Assim como o feminino, a reunião com os clubes do masculino foi muito produtiva. Os clubes fizeram um trabalho muito bom e já temos uma primeira versão da tabela, um calendário praticamente definido. Como próximo passo vamos discutir o regulamento da competição nesta sexta-feira (28) e seguiremos com a organização da Superliga nos dois naipes”, garantiu o superintendente de competições de quadra da CBV, Renato D’Avila.

A Academia do Vôlei surgiu em Uberlândia, há anos, com o professor Manoel Honorato Neto (foto) que, de maneira incansável, levou o projeto, hoje, ao topo da elite nacional, numa trajetória de determinação e dedicação permanente pelo engrandecimento do voleibol masculino em Uberlândia.

Até a inédita classificação para a Superliga, foram 11 anos de muitas batalhas e inúmeras conquistas. “Durante esse período tentamos entrar na Superliga, que a CBV antes dava outros meios para se ter o acesso. Em 2016 ganhamos o direito de jogar a Superliga B após sermos campeões da Liga Nacional sub-23. Foram quatro participações até conseguirmos o acesso. Mas, para chegar ao ápice do vôlei nacional, passamos por muitas dificuldades no início do projeto, como falta de locais apropriados para treinar, poucos recursos financeiros e mais profissionais para ampliar o corpo técnico. Agora, um sonho realizado”, disse Manoel Honorato, aqui mesmo no Diário, em reportagem especial em abril deste ano.




Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.

 
Relacionadas »
Comentários »