31/07/2020 às 15h55min - Atualizada em 31/07/2020 às 15h55min

JEMG E JIMI NÃO SERÃO REALIZADOS

ALBERTO GOMIDE
O governo de Minas confirmou esta semana o cancelamento de duas tradicionais competições esportivas do Estado: Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg) e Jogos do Interior de Minas Gerais (Jimi).

Realizado há 17 anos, o Jemg é a maior competição esportiva-social do Estado, e tem como intuito valorizar a prática esportiva escolar e a construção da cidadania dos jovens estudantes-atletas de 12 a 17 anos, de forma educativa e democrática.

Criado há aproximadamente 30 anos, o Jimi é um evento tinha o objetivo de valorizar o esporte através de disputas entre equipes que representavam municípios do interior do Estado. Durante toda sua história, os jogos consagraram equipes, atletas e deixaram sua marca por onde passaram.

Na primeira edição, o Jemg envolveu 11.100 atletas de 700 escolas e 128 municípios. Na edição do ano passado, foram 40.673 atletas de 1.987 escolas e 686 municípios. No entanto, a maior das edições foi a de 2018, com 40.993 atletas de 2.156 escolas e 727 municípios.

Com relação ao Jimi, a edição que envolveu maior número de pessoas foi a de 2011, com 13.395 atletas de 1.137 equipes e 197 municípios. A partir daí, este número foi caindo assustadoramente e na sua última edição, em 2018 (ano passado já não foi realizado), os números foram reduzidos a 5.590 atletas de 879 equipes e 185 municípios.
 
O PRAIA E A TAÇA BRASIL DE FUTSAL

O regulamento da Federação Mineira de Futsal determina que os campeões estaduais, em todas as categorias, têm o direito de representar Minas Gerais na Taça Brasil promovida pela Confederação Brasileira de Futsal. O Praia Clube Uberlândia foi campeão estadual em 2019 nas categorias sub-13 e sub-17 e seria o representante mineiro nos torneios. Seria, porque o coronavírus pode impedir a realização das competições. O sub-13, inclusive, seria em Uberlândia, tendo o Praia como sediante, e o sub-17, em Fortaleza. Em vista da crise na saúde, a CBFS ainda não tomou nenhuma decisão sobre a realização ou não da Taça Brasil em todas as categorias.
 
A MULHER NA ARBITRAGEM
 
O quadro de árbitros da Federação Mineira de Futebol (FMF) conta, atualmente, com 279 integrantes, entre árbitros e auxiliares, considerando todos os habilitados do nível amador até o Módulo I (Divisão Especial). E as mulheres correspondem a somente 8,9% desse total (25). Das 60 partidas realizadas este ano na Divisão Especial, 52 foram apitadas e “bandeiradas” apenas por homens. Em Minas, as únicas aptas a trabalhar em jogos da elite são as assistentes Fernanda Nandrea Antunes e Helen Aparecida Gonçalves. Cada uma atuou quatro vezes até o momento nesta edição do Estadual, totalizando oito partidas, ou apenas 4,4% de assiduidade feminina nos trios de arbitragem do torneio. "A procura é até alta, temos várias mulheres no curso. Mas, quando sentem a discriminação dentro de campo e no meio do futebol em geral, muitas vão desistindo", conta a especialista Alessandra Monteiro, psicóloga da Comissão de Arbitragem da FMF, ao “Hoje em Dia”.
 
INTERIOR E CAPITAL NAS SEMIFINAIS
 
Encerrada a primeira fase do Campeonato Mineiro, ficou interessante a disputa na fase semifinal. Dois clubes do interior – Tombense e Caldense – fazem uma das séries, enquanto a outra envolve dois times da capital – América e Atlético. A novidade na temporada foi o Tombense, que terminou a etapa como líder absoluto, somando 26 pontos em 11 partidas. A maior novidade, entretanto, foi o Cruzeiro não ter se classificado para as semifinais, após mais de 60 anos mantendo a tradição de semifinalista. O Uberlândia Esporte, que começou mal na competição, mudou de técnico e se firmou, terminando a fase em 6º lugar com 14 pontos, 4 vitórias, 2 empates e 5 derrotas. A única derrota com o novo técnico Luizinho Lopes foi exatamente na última rodada, perdendo de 1 a 0 para o líder Tombense. Os rebaixados foram o Tupynambás, de Juiz de Fora, e o Vila Nova, de Nova Lima. O Vila jogava em casa e precisava da vitória para evitar a degola, estava vencendo e acabou perdendo de 2 a 1 para o Coimbra, que se safou do rebaixamento.




Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.




 
Relacionadas »
Comentários »