29/05/2020 às 09h43min - Atualizada em 29/05/2020 às 09h43min

COTAS DE TV NO FUTEBOL SÃO DESIGUAIS

ALBERTO GOMIDE
Havia uma promessa de que 2019 marcaria uma revolução na distribuição das cotas de TV no futebol brasileiro. Afinal, passaria a vigorar um novo modelo de divisão no Campeonato Brasileiro, em TV aberta: 40% do dinheiro seria repartido de forma igual entre os 20 clubes, enquanto 30% teriam relação com a classificação final do torneio e mais 30% de acordo com o número de jogos exibidos pela Globo.

Mas, apesar da novidade, as cotas de TV no Brasil seguem bem desiguais, conforme levantamento feito a partir dos balanços financeiros divulgados pelos integrantes da elite nacional em 2019. O pay-per-view do Brasileirão, as cotas dos estaduais, o desempenho de cada time em outras competições (como Libertadores e Copa do Brasil), além do descontão promovido pela Globo nos prêmios dos times que fecharam em TV fechada com a Turner ajudam a explicar a diferença gigantesca em alguns casos.

O Flamengo, por exemplo, embolsou R$ 329 milhões com receitas de TV na temporada passada. É mais do que faturaram Botafogo, Vasco e Fluminense juntos. Mas, a discrepância não se restringe aos rivais do Rio. São Paulo e Santos, somados, ficaram a R$ 109 milhões do Fla.

O ranking abaixo ainda mostra outras situações surpreendentes, como a presença do Palmeiras com a segunda maior receita com TV, superando o Corinthians. O Athletico, campeão da Copa do Brasil e recordista de jogos na Globo durante o Brasileirão, é outra novidade na quinta posição.

Vale lembrar que o levantamento não considerou os dados de Cruzeiro, CSA, Avaí e Chapecoense, rebaixados para a Segundona, tampouco o Atlético Mineiro que ainda não divulgou seu balanço financeiro referente a 2019.

Os 15 clubes com as melhores cotas em 2019 foram os seguintes:

1º Flamengo: R$ 329 milhões (em 2018: R$ 229 milhões)
2º Palmeiras: R$ 216 mi (R$ 166 mi)
3º Corinthians: R$ 190 mi (R$ 197 mi)
4º Grêmio: R$ 164 mi (R$ 136 mi)
5º Athletico: R$ 159 mi (R$ 86 mi)
6º São Paulo: R$ 110 mi (R$ 135 mi)
7º Santos: R$ 110 mi (R$ 103 mi)
8º Vasco: R$ 97 mi (R$ 99 mi)
9º Botafogo: R$ 89 mi (R$ 98 mi)
10º Internacional: R$ 84 mi (R$ 101 mi)
11º Fluminense: R$ 81 mi (R$ 113 mi)
12º Bahia: R$ 80 mi (R$ 75 mi)
13º Goiás: R$ 66 mi (R$ 35 mi)
14º Ceará: R$ 45 mi (R$ 25 mi)
15º Fortaleza: R$ 31 mi (R$ 6 mi)
 
PISTA REABERTA
 
A pista de corrida e caminhada do complexo Parque do Sabiá foi reaberta ontem. Para que isto acontecesse, foi criada uma série de determinações. A Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel) realiza medição de temperatura das pessoas que forem adentrar ao Parque e orienta os frequentadores para que mantenham distância mínima de dois metros entre si, usem álcool em gel (que estará disponível nas quatro portarias) e tragam garrafinhas com água, já que o uso de bebedouros estará temporariamente suspenso. As pessoas em estado febril ou de febre não poderão entrar no local. A aplicação do sanitizador é feita com 20 bombas costais automatizadas e dois tratores no período noturno. As corridas e caminhadas serão permitidas no sentido anti-horário, das 5h às 22h, de segunda a sexta-feira, e das 5h às 20h, aos sábados. O uso de bicicletas e patins acontece no sentido horário, de segunda a sábado, das 10h às 16h, e anti-horário, de segunda a sexta, das 22h à meia-noite. As atividades esportivas coletivas – como futebol, futsal, vôlei e basquete – e o uso de piscinas, academias, quadras e campos seguem suspensos.


Esta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »