12/05/2020 às 10h31min - Atualizada em 12/05/2020 às 10h31min

Fifa aprova novas regras para o futebol

ALBERTO GOMIDE
A Fifa oficializou que os campeonatos iniciados ou que ainda começarão tenham a permissão da regra das cinco substituições por equipe. A IFAB (International Board) deu sinal verde para a mudança, que será temporária e válida até dezembro deste ano. Em um recorte quanto ao Flamengo, cujo elenco é considerado o mais forte do país, a possibilidade já agitou a torcida nas redes.

A decisão da Fifa de aumentar o número de substituições de três para cinco jogadores durante as partidas por causa da crise do novo coronavírus, visando preservar a saúde dos atletas. Contudo, esta decisão não foi muito bem aceita pelo presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, que publicou, em sua rede social, um comunicado discordando da medida, considerada unilateral.
“Estamos surpresos com esta medida, que não foi consultada com nossa Confederação. A Conmebol convocará um painel de especialistas para analisá-la e apresentar suas conclusões ao Conselho, que decidirá sobre a conveniência de adotá-lo em torneios sul-americanos”, afirmou.
 
NOVAS REGRAS APROVADAS:
 
- As duas equipes podem usar no máximo cinco substitutos.

- Para evitar interrupções, tanto quanto possível, cada equipe terá três oportunidades para fazer as cinco substituições, que também podem ser realizadas durante o intervalo.

- Se as duas equipes fizerem uma substituição ao mesmo tempo, uma oportunidade de substituição será subtraída de cada uma delas.

- No caso de uma extensão ser contestada, ambas as equipes chegarão a ela com o número de substitutos e oportunidades de substituição que eles não usaram.

- Se os regulamentos da competição permitirem mais uma substituição durante a extensão, as duas equipes terão uma nova oportunidade, que poderá ser usada tanto antes do início da extensão quanto durante o período de descanso da mesma.

- No caso de competições seniores, jogadores que já foram substituídos não podem voltar a entrar durante essa partida.

Por fim, a decisão foi apresentada pela International Board (IFAB), órgão que faz a gestão das regras do futebol. Cabe a cada organização decidir se irá aderir ou não as mudanças em seus torneios. Desse modo, a medida pode ser rejeitada pela Conmebol, por meio do conselho da entidade e de seu presidente.
 
EXPECTATIVA SOBRE JOGOS OLÍMPICOS
 
Na semana passada, o membro do Comitê Olímpico Internacional (COI) e presidente do Comitê Olímpico Australiano (AOC), John Coates, disse que a Olimpíada de Tóquio, que será realizada em 2021, pode ser uma das melhores da história. O megaevento pretende, até lá, ser a representação de que a população venceu a barreira do coronavírus e a esperança de um mundo melhor.

Uma grande preocupação está mais ligada aos atletas e técnicos. A mudança quebrou o ciclo de um trabalho que já vinha sendo intenso. Acontece uma paralização drástica como esta, e a volta dos treinamentos vai exigir muito de todos, quase que um recomeço.

Segundo o australiano, o adiamento da Olimpíada faz com que a expectativa sobre a realização do megaevento seja ainda maior. Além disso, o dirigente relembrou outros Jogos, que aconteceram após as duas Guerras Mundiais, no século XX. As edições da Antuérpia, em 1920, e Londres, em 1948, que também foram cercadas de incertezas e espera. Por fim, Coates falou sobre a possibilidade da Austrália ter sua terceira Olimpíada. Vale lembrar, que o país já foi sede em Sydney-2000 e Melbourne-1956. Dessa vez, o estado de Queensland é o candidato aos jogos de 2032, sendo favorito para vencer o pleito.
 


O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.


 
Relacionadas »
Comentários »