01/04/2020 às 12h51min - Atualizada em 01/04/2020 às 12h51min

Internet, live e futebol

ADRIANO SANTOS

Em tempos de medidas de confinamento, a orientação é ficar em casa e evitar aglomerações. A regra claro é para todos, inclusive para os amantes da atividade física e dos jogadores de futebol. Os atletas profissionais têm que seguir as cartilhas elaboradas pelos clubes e profissionais autorizados.

Nos grandes clubes, os treinos são feitos pelo Zoom, um aplicativo onde você consegue ver até cem pessoas ao mesmo tempo. O preparador físico entra e então todos fazem juntos o treinamento. Contudo, também é necessário o controle sistêmico das alimentações, afinal não são férias.

Hoje, todos os preparadores físicos e professores de educação física que conhecemos estão postando treinos. A internet nos dá acesso aos treinos, mas, para saber a carga que devemos usar, os modos de cada exercício e quantidade de repetições é necessário ouvir um profissional da área. Copiar e fazer pode nos gerar sérios danos à saúde.

Em seguida, a Internet tem postado grandes jogos do passado, sem famosos debates dos programas de televisão, sejamos bem-vindos às lives nas redes sociais. São diversas delas, muita gente entrando ao vivo pelo INSTAGRAM em dupla e contando histórias, respondendo perguntas e muito mais. Eu mesmo já realizei nas minhas redes sociais três desses encontros com nomes conceituados do futsal do brasileiro. Foram eles: Hygor Fonseca, tricampeão mineiro de futsal, Paulinho Cardoso, umas das cabeças mais pensantes do futsal na última década, e Rodrigo Perdigão, a referência da base no Brasil e técnico principal das equipes do Minas Tênis Clube.

As mesmas não param por aí, nomes que estarão presentes, técnicos e representantes de grandes clubes do Brasil como Rafael de Souza, do Fluminense, Fabrício Monte, do Santos FC, Caco Espinosa, do Corinthians, Marquinhos Xavier, técnico da Seleção Brasileira de Futsal, dentre tantos outros que estão disponíveis a ensinar via internet e responder seu público.

Assim, a nossa reclusão forçada vai ficando menos tediosa. Aliás, nada no esporte volta em menos de 2 meses. Viva o Futebol!

*O conteúdo desta coluna é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.












 

Tags »
Relacionadas »
Comentários »