20/04/2021 às 12h58min - Atualizada em 20/04/2021 às 12h58min

Uberlândia registra queda de 33% no número de furtos e roubos a comércios e residências

No primeiro trimestre de 2021 foram computadas 959 ocorrências, enquanto em 2020 foram 1.434; índice de isolamento social é um dos motivos para a diminuição dos crimes

BRUNA MERLIN
No primeiro trimestre de 2021 foram computadas 959 ocorrências em Uberlândia, enquanto em 2020 foram 1.434 | Foto: Celso Ribeiro

A cidade de Uberlândia teve uma queda de 33,1% no número de registros de furtos e roubos a comércios e residências no primeiro trimestre de 2021. O aumento do índice de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus é um dos motivos para a diminuição dos crimes.
 

Segundo dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), de janeiro a março deste ano foram registradas 959 ocorrências de furtos e roubos a residências e comércios. No mesmo período de 2020, foram computados 1.434 registros. 
 

O crime que mais teve queda no primeiro trimestre de 2021 foi o de roubo a estabelecimentos. Neste ano, foram contabilizadas 56 ocorrências, enquanto no ano passado foram 123.
 

E roubos a residências foi o crime que menos registrou queda durante o período. A quantidade de ocorrências deste crime caiu de 36 para 34. Veja a tabela completa abaixo.

 

CRIMES REGISTRADOS DE JANEIRO A MARÇO

2020

2021

Roubo a comércio

123

56

Furto a comércio

540

308

Roubo a residência

36

34

Furto a residência

735

561

 

O mês de março deste ano foi o que mais apresentou diminuição no número de ocorrências. Foi 40% a menos do que o registrado em 2020. 
 

Ainda de acordo com o levantamento da Sejusp, a quantidade de furtos e roubos a comércios e residência em março do ano passado foi de 430. Em 2021, esse quantitativo caiu para 258.

 

CRIMES REGISTRADOS EM MARÇO

2020

2021

Roubo a comércio

51

14

Furto a comércio

157

86

Roubo a residência

20

10

Furto a residência

202

148

 

PANDEMIA

A pandemia da Covid-19 está diretamente relacionada à queda na quantidade dos crimes de furtos e roubos registrados no primeiro trimestre de 2021. Conforme apontou a advogada criminalista Rafhaella Cardoso, a permanência das pessoas em casa e o fechamento dos estabelecimentos impediu a ação dos criminosos. 
 

Em janeiro e fevereiro de 2020 a pandemia ainda não estava instalada na cidade e, mesmo em março, quando ela chegou, o índice de isolamento social ainda era baixo. Já no primeiro trimestre de 2021, devido ao aumento de casos e mortes, o município teve novamente o comércio fechado, passou a contar com o toque de recolher e muitas pessoas retornaram para o home office, forçando, assim, a permanência em casa.
 

“Sem a circulação das pessoas na rua e no comércio, a não permanência de dinheiro em caixa nos estabelecimentos e os cidadãos ficando o dia inteiro em casa, a oportunidade para os criminosos ficou menor”, disse.
 

Entretanto, com a queda no número de furtos e roubos, consequentemente, houve uma elevação nos crimes de estelionato, principalmente aqueles que acontecem de forma virtual. Isso se deu em razão do aumento da utilização de plataformas digitais e realização de compras online através de cartões de crédito ou débito durante a pandemia.
 

Em março deste ano, o Diário de Uberlândia fez uma reportagem que traz dados dessa elevação na quantidade de ocorrências. A matéria revelou que o número de crimes de estelionato tentado e consumado no primeiro bimestre de 2021 aumentou em mais de 11%, se comparado com o mesmo período do ano anterior. 
 

“Surgiu uma oportunidade para a aplicação de golpes e a clonagem de dados pessoais. Sendo assim, o número de estelionatos cresceu na cidade”, complementou a advogada criminalista Rafhaella Cardoso. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »