17/09/2020 às 09h08min - Atualizada em 17/09/2020 às 09h08min

Macrorregião volta para onda amarela, mas Uberlândia permanece em alerta

Município já estava enquadrado nos protocolos após decisão judicial favorável; incidência na microrregião sobe para 255 a cada 100 mil habitantes

DA REDAÇÃO
Uberlândia estava na onda amarela desde a última semana após ajuizar ação e ter liminar deferida pela Justiça | Foto: Reprodução
A macrorregião Triângulo Norte voltou a ser inserida nos protocolos da onda amarela do programa estadual Minas Consciente. No caso de Uberlândia, a situação não muda já que o Município estava autorizado a permanecer na onda por determinação judicial, após questionar os critérios do Estado que levaram à região, na última semana, a regredir para a onda vermelha e mais restritiva do plano. 

As mudanças foram anunciadas pelo governador Romeu Zema, nesta quarta-feira (16), após reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 e considerando a estabilização no número de casos e óbitos nas macrorregiões de Saúde.

Por outro lado, a taxa de incidência de Covid-19 na microrregião Uberlândia/Araguari aumentou para 225 casos confirmados a cada 100 mil habitantes, sendo a segunda maior de Minas Gerais, atrás apenas de Ituiutaba (327). Os indicadores semanais, divulgados na última segunda-feira (14), mantêm a região em alerta e na onda vermelha, podendo os prefeitos dessas cidades optarem ou não por quais dos dois protocolos seguir, segundo o governo estadual. 

ONDAS
Com o avanço do Triângulo Norte e região Noroeste para a onda amarela, integram o nível também as regiões Sul, Sudeste, Centro, Jequitinhonha, Leste, Leste do Sul e Vale do Aço. Nessa onda, é permitido o funcionamento de algumas atividades comerciais não essenciais como academias e bares, porém com restrições. 

As novas alterações desta semana também juntam ao Triângulo Sul e região Norte, na onda verde,  as macrorregiões Oeste e Centro-Sul, depois de permanecerem 28 dias na onda amarela. 
Veja abaixo os principais serviços permitidos para cada um dos protocolos estaduais durante a pandemia do novo coronavírus.

A onda verde compreende o último nível do plano Minas Consciente, fase em que é permitida a maior parte das atividades, como bares com música ao vivo, cinemas e parques. Todas as aberturas devem respeitar os protocolos estipulados pelo Governo de Minas, que incluem padrões de distanciamento social e práticas de higienização.
 
“Só tivemos desta vez boas notícias. Nenhuma região regrediu, ou seja, nenhuma região que estava na onda verde voltou para a amarela e nenhuma região que estava na amarela regrediu para a vermelha. O que nós tivemos foram apenas movimentos positivos. O número de casos e número de óbitos no Estado continua declinando”, comentou o governador. 


Onda amarela
As macrorregiões de Saúde Noroeste, Triângulo Norte, Sul, Sudeste, Centro, Jequitinhonha, Leste, Leste do Sul e Vale do Aço estão na onda amarela, quando são permitidos:

 
  • Bares (consumo no local);
  • Autoescolas e cursos de pilotagem;
  • Salões de beleza e atividades de estética;
  • Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
  • Papelarias, lojas de livros, discos e revistas;
  • Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
  • Comércio de itens de cama, mesa e banho;
  • Lojas de móveis e lustres;
  • Imobiliárias;
  • Lojas de departamento e duty free;
  • Lojas de brinquedos;
  • Academias (com restrições);
  • Agências de viagem;
  • Clubes

Onda verde
As macrorregiões  Norte, Triângulo Sul, Oeste e Centro-Sul estão na onda verde. Nesta fase, são permitidos os seguintes serviços:
  • Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;
  • Cinemas;
  • Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;
  • Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;
  • Bares com entretenimento (shows e espetáculos);
  • Serviços de colocação de piercings e tatuagens.

Onda vermelha
​A macrorregião de Saúde Nordeste está onda vermelha do plano. Nesta fase, são permitidos os seguintes serviços:

 
  • Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;
  • Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);
  • Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;
  • Serviços de ambulantes de alimentação;
  • Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;
  • Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;
  • Vigilância e segurança privada;
  • Serviços de reparo e manutenção;
  • Lojas de informática e aparelhos de comunicação;
  • Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;
  • Construção civil e obras de infraestrutura;
  • Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

VEJA TAMBÉM:

 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »