15/09/2020 às 11h13min - Atualizada em 15/09/2020 às 11h13min

Incêndios em Uberlândia já superam registros de todo o ano de 2019

Bombeiros registraram 956 ocorrências até o momento; somente em agosto foram 309 queimadas

BRUNA MERLIN
Maioria dos incêndios é causada de forma criminosa | Foto: Arquivo/Diário de Uberlândia
Entre os meses de janeiro a agosto deste ano, o 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Uberlândia registrou 956 incêndios na cidade e imediações. Esse número é quase 3% maior do que a quantidade de queimadas computadas em todo o ano de 2019, em que foram registrados 933 incêndios. 

Segundo a tenente Grazielle Cristina de Souza, o período de estiagem, que ocorre entre abril e setembro, é um grande facilitador para o aumento das queimadas em matas e lotes vagos. “Já tínhamos uma previsão de que neste ano o tempo ficaria mais quente e seco, provocando mais incêndios”, ressaltou. 

Em comparação com o ano passado, o número de registros de incêndios em 2020 durante a época de estiagem é exorbitante. Somente no mês de agosto, os militares combateram 309 queimadas, enquanto em 2019 foram 131. Veja tabela abaixo. 


Ainda de acordo com a tenente Souza, a maioria dos incêndios são causados de forma criminosa. Ela explica que, devido à vegetação seca e aos fortes ventos, as chamas se espalham de forma mais rápida, atingindo grandes áreas.

A prática de colocar fogo em lotes vagos para não fazer a roçagem devida ou queimar objetos em matas que ficam às margens das rodovias são os principais registros do 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros. “Essas ações são consideradas como crime de incêndio doloso quando há intenção de cometer. A pena por esse ato pode variar de 3 a 6 anos de reclusão, além de multa”, acrescentou.
 
 

2019

2020

Janeiro

32

7

Fevereiro

34

4

Março

21

33

Abril

43

53

Maio

79

101

Junho

165

170

Julho

158

279

Agosto

131

309

Setembro

205

---

Outubro

51

---

Novembro

5

---

Dezembro

9

---

Total

933

956


As queimadas também podem ser causadas de forma não intencional e são caracterizadas como crime de incêndio culposo como, por exemplo, o ato de jogar bitucas de cigarros nas rodovias ou vias da cidade. O indivíduo que for flagrado pode ser condenado a uma pena de reclusão de três a seis anos, mais multa. 

“Acreditamos que a quantidade de incêndios continuará grande no decorrer de setembro já que as chuvas devem chegar somente no fim do mês ou começo de outubro. Continuamos pedindo a conscientização da população para diminuir as queimadas”, finalizou. 

REGISTROS
Nos últimos meses, o Diário de Uberlândia noticiou grandes incêndios que aconteceram em diversos pontos do município. Em agosto, chamas atingiram uma vegetação nas dependências da faculdade Unitri e aproximadamente 50 hectares foram queimados.

A alta fumaça causada pelo fogo podia ser vista de diversos pontos da cidade, principalmente pelos moradores do bairro Jardim Karaíba. Abafadores e 15 mil litros de água foram utilizados para controlar o fogo e os trabalhos duraram cerca de 2h30.

Outro grande incêndio atingiu uma plantação de eucaliptos próximo ao Clube Caça e Pesca Itororó, em agosto. Os trabalhos de controle do fogo duraram cerca de seis horas.

Por fim, no fim do mês de agosto, um incêndio queimou cerca de 20 hectares de uma vegetação às margens da LMG 749, nas proximidades do aterro sanitário. O fogo quase atingiu fazendas e Áreas de Preservação Permanente (APPs) da região.


VEJA TAMBÉM:

 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »