14/09/2020 às 16h08min - Atualizada em 14/09/2020 às 16h08min

Pesquisa aponta queda no faturamento de 66% das micro e pequenas empresas de Uberlândia

Levantamento foi divulgado pela Aciub nesta segunda-feira (14); números são válidos para negócios associados à entidade

DA REDAÇÃO

Uma pesquisa realizada pela Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub), entre as micro e pequenas empresas associadas à entidade, identificou que 66% dos entrevistados registraram redução no faturamento desde o início da pandemia da Covid-19. O levantamento aponta ainda que 19% conseguiram manter a receita e apenas 15% registraram crescimento.

O estudo feito pela associação também confirmou o cenário de forte queda do faturamento diante da pandemia, mas por outro lado verifica-se para os próximos meses uma tendência de otimismo em relação ao cenário econômico. A pesquisa ouviu os associados entre 17 e 24 de agosto, com o objetivo de identificar ânimos e expectativas em relação à economia e o crescimento das atividades dos empreendedores.

A Aciub identificou que 
77% dos empreendedores acreditam na estabilidade ou melhoria dos negócios nos próximos meses, sendo que 79% desta parcela aposta que as atividades serão mantidas em funcionamento, com tendência da ampliação rumo à normalidade no município.

O questionário aplicado contemplou ainda questões desde variações ocorridas nas empresas durante o período de pandemia da Covid-19, assim como projeções futuras, como a questão das contratações, por exemplo.

ÂNIMOS E EXPECTATIVAS
Quando questionados sobre as expectativas para os próximos meses, 77% dos empreendedores mostraram confiança de que o cenário não vai piorar, sendo que 35% acreditam em melhorias, 42% na manutenção inicial do cenário e 23% não estão confiantes.

Em relação à abertura do comércio, a metade acredita que haverá evolução com queda das restrições, 30% aposta na permanência do momento atual por algum tempo, e 20% tem receio de novas restrições, piorando o cenário.

Outra abordagem feita pela Aciub foi sobre o consumo dos clientes. 41% dos entrevistados apostaram em melhoria no consumo, 19% na estabilidade e outros 40% ainda estão receosos em relação ao comportamento do consumidor.

As expectativas sobre a evolução do faturamento nas empresas, para os próximo meses, também foi objeto da pesquisa, sendo que 39% dos empreendedores acreditam no crescimento, 40% na estabilidade e 21% avaliam que ainda poderá ocorrer uma queda.

IMPACTO DA PANDEMIA
As expectativas de melhoria acontecem após a realidade enfrentada pelas micro e pequenas empresas, que sentiram grande impacto no faturamento desde março. Dentre os fatores que geraram este impacto, segundo os entrevistados, o fechamento do comércio – como parte das medidas restritivas – lidera com 57,4%, seguido pelas dificuldades de acesso às políticas públicas e também ao crédito, com 25,6% e 24%, respectivamente.

A necessidade da implementação da digitalização, de maneira imediata e sem um planejamento, foi apontada como um fator de impacto para 12,4% dos entrevistados. O presidente da Aciub, Paulo Romes Junqueira, destacou a importância desta pesquisa para conhecer melhor a realidade dos associados e desenvolver mais ações de apoio às micro e pequenas empresas.

“Neste ano vivemos um cenário muito diferente com esta pandemia, e para identificar de forma mais clara os impactos, e principalmente as expectativas, optamos por fazer esta pesquisa que foi muito enriquecedora. Além destes dados públicos, também levantamos algumas informações estratégicas que serão essenciais para que possamos apoiar ainda mais estes empreendedores, principalmente ao ver que estão confiantes e determinados a fazer a diferença para seguir com seus negócios e evoluir", disse.

Junqueira afirmou ainda que o foco da Aciub será ajudar no processo de transformação e recuperação a partir dos próximos meses. O presidente, no entanto, fez um alerta sobre o cenário pandêmico vivido em Uberlândia. “Aproveito para reforçar a nossa orientação para que todos façam a sua parte. Temos mantido os empreendedores informados sobre as medidas que precisam seguir, e estão fazendo. Agora contamos com a população para que sigam as orientações, pois assim poderemos avançar com a manutenção das atividades econômicas e recuperação deste cenários, sempre com foco na manutenção da saúde de todos, como defendemos desde o início”.


VEJA TAMBÉM:

MPF cobra reativação do Consultório de Rua em Uberlândia


Primeiros candidatos ao Executivo de Uberlândia são oficializados


 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »