31/08/2020 às 12h06min - Atualizada em 31/08/2020 às 14h08min

Evolução acompanha trajetória de administradores de Uberlândia

Prefeitos que passaram pela gestão municipal deixaram marcas no progresso da cidade

SÍLVIO AZEVEDO

Para que Uberlândia pudesse chegar ao patamar de cidade referência regional, muito trabalho foi feito por pessoas que pensavam além do seu tempo. Entre elas estavam agentes públicos que decidiram assumir um compromisso de administrar e levar o Município avante.

Foram os prefeitos do passado que ajudaram Uberlândia, que já havia sido distrito da vizinha Uberaba, a assumir o posto de maior cidade do interior de Minas Gerais, sendo referência nacional em vários aspectos como tecnologia e logística.

Desde 1891, entre agentes executivos, prefeitos nomeados e eleitos, foram 30 gestores que se dividiram em 40 gestões, sendo que seis por mais de uma vez. Virgílio Galassi foi quem mais esteve à frente do Município, sendo eleito para quatro mandatos. O atual prefeito, Odelmo Leão, está na terceira gestão e é um pré-candidato natural para reeleição em 2020. Também governaram mais de uma vez Vasco Giffoni, com três mandatos, Severiano Rodrigues da Cunha, Renato de Freitas e Zaire Rezende, dois cada.

Para o jornalista Ademir Reis, conhecedor da política local, da qual começou a frequentar desde o final dos anos 50, todos os prefeitos tiveram sua parcela de contribuição para o crescimento da cidade, porém quatro figuram entre os mais importantes: Tubal Vilela, Renato de Freitas, Virgílio Galassi e Zaire Rezende.

“Tubal governou a cidade entre 1951 e 1954, sendo o segundo eleito por voto popular. Para o período, foi o mais popular entre os prefeitos, conseguindo, inclusive, se eleger deputado estadual por duas vezes após deixar a Prefeitura. “Ele era carismático, tinha um prestígio grande com as classes menos favorecidas e que trouxe a água pro Centro da cidade, com a construção das caixas d’água que ficam na avenida Floriano Peixoto”, disse.


O ex-prefeito de Uberlândia Tubal Vilela | Foto: Arquivo Público

Tubal também foi responsável pelo loteamento de novos bairros na época como o Brasil, Dona Zulmira e Tubalina. “O crescimento da cidade para o lado do Brasil, passando além da estação da Mogiana, que ficava onde está localizado o antigo Fórum. A cidade morria ali”, explicou Ademir Reis.

Já Renato de Freitas administrou a cidade entre 1967 e 1970 e de 1973 a 1976, em segundo mandato. Durante sua gestão, revolucionou o formato da administração pública municipal, criando as primeiras secretarias que foram a de Ação Social, Administração, Fazenda, Obras e Patrimônio.

Também foi responsável pela captação de água de Sucupira, que seria fornecida para toda a cidade, construção do Terminal Rodoviário Presidente Castelo Branco, uma instalação muito moderna para os padrões da época, além de muitas outras ações nas áreas de saúde, educação e mobilidade urbana.

Renato de Freitas teve uma grande força política para, junto aos deputados Rondon Pacheco e Homero Santos, trazer mais cursos e a federalização da então Universidade de Uberlândia (UnU), que aconteceu em 1978, já na gestão de Virgílio Galassi. Para Ademir, esse fato foi muito importante para o grande crescimento da cidade.


Renato de Freitas foi prefeito de Uberlândia em dois mandatos | Foto: Arquivo Público

“Muitos jovens vinham de outras cidades para estudar e os pais aproveitavam para abrir indústrias e empresas. Foi o grande boom populacional e de crescimento da cidade. Tudo graças ao trabalho conjunto de Renato, Virgílio e os deputados Homero Santos e Rondon Pacheco”.

O ex-prefeito Virgílio Galassi em seus quatro mandatos fez muitas ações que ajudaram no desenvolvimento de Uberlândia. Com seus contatos e influência com governadores e parlamentares em Brasília, trouxe muitas benfeitorias para o Município que adotou como casa.

“Quando esteve fora da política, entre 1967 e 1970, ele se movimentou muito pelo eixo Belo Horizonte/Brasília e conseguiu captar recursos e prever a vinda dele para a Prefeitura no mandato tampão entre 1971 e 1972. Fez a cama para voltar em 1977. Ele tem muitos feitos para cidade”, disse Ademir.

Como prefeito, realizou grandes feitos, como a pavimentação da avenida Rondon Pacheco e construção dos prédios que abrigam, atualmente, a Prefeitura e a Câmara Municipal de Uberlândia. Também foi importante por obras e visão administrativa voltada para a educação, incluindo a federalização da UFU, saneamento básico, educação, saúde, esporte e lazer, com a construção do Parque do Sabiá e do estádio municipal. 

 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »