18/08/2020 às 15h50min - Atualizada em 18/08/2020 às 15h50min

Menina de 12 anos batalha por sonho de jogar na Seleção Brasileira de Futebol

Luiza Campos joga como atacante em duas escolinhas de Uberlândia e busca por parcerias para divulgar o talento com a bola

BRUNA MERLIN
Luiza faz aulas na escola Neo Sports e atua como atacante no time | Foto: Reprodução/Instagram
Luiza Duarte Campos tem apenas 12 anos e já batalha para poder conquistar um de seus maiores sonhos, jogar na Seleção Brasileira de Futebol Feminino. Inspirada por seus ídolos, Neymar Júnior e Marta, a menina se encantou pelo esporte e atualmente joga na posição de atacante nas escolinhas Craques do Futuro e Neo Sports em Uberlândia.

O pai de Luiza, também conhecido como o fã número 1 dela, contou que a filha sempre demonstrou interesse pelo futebol desde pequena e pediu para começar a praticar a modalidade logo cedo. “No começo achei que ela gostava de jogar bola mais pela brincadeira, mas agora ela treina para um dia poder ser a melhor do mundo. O talento dela é admirável”, ressaltou André Ferreira Campos. 

Devido à falta de oportunidades destinadas a meninas no futebol da cidade, Luiza decidiu encarar o desafio e praticar o esporte em times compostos somente por meninos. Segundo o pai, nada é capaz de impedir a filha de conquistar o que mais deseja. 

“Turmas de meninas nunca eram formadas nas escolinhas em que ela joga hoje. Sendo assim, ela insistiu que queria entrar de qualquer jeito para praticar e conseguimos encaixá-la nos times. Ela consegue mostrar o quanto as meninas jogam tão bem quanto aos meninos e, com certeza, é uma forma de quebrar esse preconceito e a falta de incentivo às mulheres que querem jogar futebol”, destacou o pai.

PREMIAÇÃO
O talento e a determinação de Luiza são tão grandes que ela foi reconhecida nacionalmente em um concurso da campeã mundial de futevôlei, Natalia Guitler, no ano passado. O campeonato exigia que as interessadas postassem um vídeo nas redes sociais exibindo o seu melhor chute ao gol. No meio de tantas candidatas, a moradora de Uberlândia foi escolhida como o gol mais bonito e ganhou o concurso. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Luiza Duarte Campos (@luizajogadora) em


Como prêmio, Luiza ganhou uma viagem para a Inglaterra com tudo pago. Além disso, ela irá conquistar um sonho que ela nunca pensou que se realizaria tão cedo: conhecer o estádio e os integrantes que compõem o time de futebol Manchester City.

“A felicidade dela em ser reconhecida nacionalmente é algo que não dá para ser descrito. Ela irá assim que a situação da pandemia do coronavírus se normalizar, mas a ansiedade já é grande”, complementou o pai da menina.

BUSCA POR PARCERIAS
A habilidade de Luiza no futebol conquistou as redes sociais e hoje ela aposta nas páginas virtuais para divulgar seus dotes no esporte. Ela ama compartilhar o que sabe fazer e recebe apoio e incentivo de diversas pessoas. 

Mesmo sendo tão nova, a atacante já entende que precisa conquistar os olhares de mais admiradores para conseguir chegar aos grandes clubes do país. Com isso, ela está correndo atrás de parcerias e patrocínios com empresas que apoiem sua carreira profissional na modalidade. 

Entretanto, a estrada ainda é longa e muitas dificuldades são enfrentadas pela menina. Recentemente, Luiza postou no Instagram um fato que aconteceu após ela se apresentar a uma loja da cidade e pedir ajuda por meio de uma parceria com a marca. Em um print da conversa, o representante da loja responde à jogadora de forma irônica devido à quantidade de seguidores na ocasião. 

“Na época, minha filha tinha cerca de 2 mil seguidores e a loja zombou disso como se não valesse de nada. Nós sabemos que haverá muitos ‘não’ e rejeições, mas foi uma falta de educação o que fizeram. Isso chateia qualquer pessoa, mas felizmente, a Luiza não irá desistir”, explicou André Ferreira Campos.

Luiza
 postou print de uma marca zombando da quantidade de seguidores dela | Foto: Reprodução/Instagram

A especialista de marketing digital Renata Tavares conversou com o Diário de Uberlândia sobre o caso de Luiza e reforçou a forma infeliz como a loja abordou a atleta. “Não havia necessidade de falar assim. Poderia ter recusado de forma educada e explicando quais eram as razões. Faltou sensibilidade”, continuou.

Tavares explicou ainda que a loja se baseou somente no número de seguidores de Luiza e, segundo ela, o engajamento de uma página vale muito mais que a quantidade de pessoas que a seguem. “A Luiza tem uma página de qualidade e com engajamento, sendo assim, muitas marcas que compartilham da mesma causa que ela podem investir. Número de seguidores não é uma regra e não diz nada”, finalizou Renata.

Mas, não foi e não será essa situação que fará Luiza desistir do sonho de estar na Seleção Brasileira. A atacante ainda irá percorrer muitos caminhos, que nem sempre serão agradáveis, mas ela garante que nunca irá abaixar a cabeça para os desafios e pretende ajudar a transformar o futebol feminino do país. 


 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »