08/07/2020 às 08h56min - Atualizada em 08/07/2020 às 08h56min

UFU segue discutindo possibilidade de implantar ensino remoto

Conselho se reuniu novamente nesta terça-feira (7), mas ainda não chegou a uma deliberação

DHIEGO BORGES
O Conselho de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) ainda não conseguiu chegar a um consenso sobre a possibilidade de retomar as atividades acadêmicas dos cursos de graduação de forma remota. Na tarde desta terça-feira (7), os noventa membros do Congrad/UFU estiveram reunidos com o objetivo de discutir as propostas que, se aprovadas, podem ser aplicadas em caráter excepcional. Segundo a assessoria da Universidade, a reunião foi inconclusiva e os debates serão retomados em um novo encontro agendado para a próxima quinta-feira (9), às 14h. 

As atividades na Universidade estão suspensas há aproximadamente 100 dias, desde que a UFU anunciou, em 18 de março, a interrupção das aulas por conta da pandemia. No último dia 26 de junho, após a primeira reunião do Congrad, o reitor Valder Steffen Júnior disse, em entrevista ao Diário, que a Universidade estuda um modelo para adotar o ensino remoto até o fim do isolamento social. A proposta de retomada, segundo o reitor, está sendo discutida com as Unidades Acadêmicas. 

Na tarde desta terça-feira (7), a reportagem conversou com o professor doutor Fernando Martins Mendonça, que é relator do processo que trata sobre a implantação de Atividades Acadêmicas Remotas Emergenciais para os cursos de graduação da UFU. O professor adiantou que a resolução é complexa e está sendo discutida ponto a ponto entre o Conselho. 

 
“Ainda há muitas dúvidas sobre como o processo pode se dar e, por enquanto, nada está definido. É preciso considerar que a Universidade tem cursos com realidades muito diversas e a decisão será de comum acordo com todo o Congrad, por meio de uma votação de ampla maioria”, destacou. 

Segundo o relator, a Universidade oferece em média 6,5 mil disciplinas por semestre, mas ainda não há um consenso sobre quais e quantas delas poderiam ser ofertadas no formato remoto. Caso a resolução seja validada pelo Conselho, cada colegiado de curso determinará os limites de carga horária, respeitando o teto de 34 horas semanais, que é regra da Universidade.   

A respeito da plataforma a ser utilizada no ensino, o professor também adiantou que esse aspecto está sendo discutido com o Conselho para que haja um consenso sobre quais seriam as ferramentas mais adequadas para uso tanto dos alunos quanto dos professores. Ainda de acordo com o relator, se a proposta for aprovada, a expectativa é que as aulas remotas sejam iniciadas em agosto e cada colegiado decidirá sobre a adesão e, posteriormente, alunos e professores. 

“A finalidade não é implementar o ensino remoto por si, mas garantir a qualidade do ensino. A minuta propõe que apenas aquelas disciplinas que o colegiado julgar como possíveis sejam ofertadas. E cada colegiado terá a liberdade de escolher quais delas serão oferecidas”, afirmou Fernando Martins.

Caso seja votada e aprovada na próxima reunião do Conselho, a resolução, que tem aproximadamente 30 artigos, terá validade até 31 de dezembro, podendo ser revista de acordo com as condições sanitárias do país.

PÓS-GRADUAÇÃO 
No dia 29 de junho, o Conselho de Pesquisa e Pós-graduação decidiu pelo prosseguimento das atividades de pesquisa e extensão de forma remota. A medida foi aprovada por 46 votos favoráveis, três contrários e uma abstenção. A previsão é que as aulas sejam retomadas online a partir de 11 agosto com término do ano letivo em 14 de dezembro.

Também ficou definida a criação do Auxílio de Inclusão Digital, com o objetivo de subsidiar a contratação de pacote de dados de internet para o acompanhamento de atividades acadêmicas à distância. O benefício deve ser concedido prioritariamente aos alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O valor do auxílio, no entanto, não foi informado.  

ESEBA
A Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (Eseba/UFU) também começou a disponibilizar no dia 30 de junho as atividades do primeiro roteiro de estudos do ensino remoto emergencial.
 
Os roteiros de estudo serão disponibilizados inicialmente pelo site oficial da Eseba e via WhatsApp. Para as famílias que não têm condição de acesso por nenhum dos dois canais, o material será enviado de forma impressa, pelos Correios. Neste caso, será necessário fazer uma solicitação por meio do e-mail [email protected] ou no WhatsApp (34) 99855-9009, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h ou das 14h às 18h, exceto feriados e recessos.

VEJA TAMBÉM:

 













 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »