27/06/2020 às 09h42min - Atualizada em 27/06/2020 às 09h42min

UFU pode adotar aulas remotas a partir de agosto

Proposta será facultativa e ficará a cargo dos colegiados; estudantes também poderão optar

DHIEGO BORGES

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) deve adotar o ensino remoto para permitir a continuidade das atividades estudantis até o fim da pandemia do coronavírus. Na tarde desta sexta-feira (26), o Conselho de Graduação da Universidade se reuniu para discutir a proposta e apresentar às Unidades Acadêmicas.

De acordo com o reitor da UFU, Valder Steffen Júnior, a expectativa é que nos próximos 10 dias haja uma definição sobre a decisão. “Nessa primeira reunião, fizemos uma leitura completa da proposta e agora vamos ampliar essa discussão nos colegiados e nas unidades acadêmicas, dando a eles um tempo para que discutam melhor a matéria. Após isso, convocaremos novamente o conselho para uma deliberação”, afirmou o reitor. 

Em entrevista exclusiva ao Diário, Valder adiantou que a proposta será facultativa e que os colegiados dos cursos da universidade terão autonomia para decidirem se vão aderir. Ainda segundo o reitor, apenas algumas disciplinas serão disponibilizadas no formato à distância, tendo em vista que muitas delas necessitam de aulas práticas ou com utilização de laboratórios. As disciplinas práticas serão remanejadas para serem cursadas no retorno das atividades presenciais.

Após a definição dos colegiados, os estudantes também terão a oportunidade de escolherem se querem aderir ou não à proposta. De acordo com o reitor, os universitários que não optarem pelo ensino remoto não serão prejudicados e terão as atividades repostas assim que a universidade retornar com as aulas presenciais.

Segundo Valder Steffen, caso a proposta seja aceita pela comunidade acadêmica, a previsão é que as aulas remotas sejam iniciadas em agosto, com término do ano letivo em dezembro.
 
SEM PREVISÃO
O reitor também adiantou que não há previsão para retorno das aulas presenciais neste ano. Segundo ele, mesmo que haja um abrandamento da pandemia, a princípio, a universidade deve adotar o ensino híbrido.

Entre as definições estão limitações como o número de pessoas presentes simultaneamente nas instalações da UFU; tempo e proximidade física entre estudantes, servidores e colaboradores; medidas de etiqueta respiratória, distanciamento e inibição do contato físico; instrução da comunidade acadêmica para uma adequada utilização dos equipamentos de proteção individual, como máscaras e viseiras, entre outros, se necessário.

Na próxima segunda-feira (29), às 14h, a proposta deve ser anunciada para o Conselho de Pós-graduação com as mesmas diretrizes. Ainda não há uma data estipulada para a próxima reunião para decisão final da Universidade.





















 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »