25/06/2020 às 08h40min - Atualizada em 25/06/2020 às 08h40min

Cinco vias de Uberlândia já receberam nova iluminação pública

Luminárias de vapor de sódio estão sendo substituídas por lâmpadas de LED

SÍLVIO AZEVEDO
Avenida Rondon Pacheco foi substituída por 200 lâmpadas de LED na primeira etapa dos trabalhos | Foto: Divulgação/PMU
O trabalho de modernização da iluminação pública em Uberlândia começou em abril em avenidas de grande movimentação, como a Rondon Pacheco e a João Naves de Ávila, através de uma Parceria Público Privada (PPP). A empresa que venceu a licitação, a Engie Brasil, receberá R$ 260 milhões em 20 anos de concessão pública e ficará responsável pela substituição da rede de iluminação pública da cidade.

Na Rondon Pacheco, por exemplo, foram substituídas cerca de 200 luminárias de vapor de sódio pelas lâmpadas de LED. Nas avenidas Adriano Bailoni (Roosevelt) foram 35 substituições, João Naves de Ávila, 550, João Pessoa, 42, e rua Indianópolis (Osvaldo Resende e Martins), 103 luminárias, somando 930.

“Um cronograma definitivo dos trabalhos ainda está em elaboração, uma vez que a Cemig tem tido problemas com seu sistema de aprovação de obras e projetos. O Município vai comunicar sempre todo início de trabalho em um novo setor”, disse o secretário municipal de Meio Ambiente e Serviços Urbanos, João Batista Ferreira Junior.

Serão substituídas aproximadamente 87 mil lâmpadas, com economia mínima de 49,39% no consumo de energia, além da ampliação do número de postes, expansão anual de 550 pontos de luz e melhoria da iluminação em locais de acessibilidade, como as rampas das calçadas.

 
“Na primeira etapa da modernização, que contemplará a substituição de 43.500 pontos em até nove meses, o serviço atenderá vias V1 e V2 e também de maior vulnerabilidade. Após isso, iniciaremos o atendimento aos demais pontos da cidade, incluindo demandas reprimidas que englobam vias com iluminação precária e até mesmo sem iluminação”, disse o secretário.

O processo de modernização de iluminação pública, conforme a NBR 5101 (que regulamenta o setor), deve priorizar as vias de maior classificação viária (V1 e V2) e que leva em consideração vários aspectos, sendo o principal o fluxo de veículos e as vias de maior vulnerabilidade: maior risco de segurança e acidentes, localização em áreas com menores condições socioeconômicas, etc.
Do valor total do contrato já foi investido R$ 1,96 milhão, que é pago através da Contribuição da Iluminação Pública (CIP) que os moradores de Uberlândia já pagam juntos à conta de energia com o objetivo de auxiliar a manutenção do sistema de iluminação pública.

“Importante ressaltar que este é um recurso vinculado por lei, que só pode ser utilizado para este fim da iluminação. Ou seja, não houve aumento na tarifa, nem inclusão de novas contribuições ou de custos a mais para a população no intuito de garantir o serviço seja realizado”, explicou João Junior.



VEJA TAMBÉM:
 








 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »