12/03/2020 às 11h54min - Atualizada em 12/03/2020 às 11h54min

Preocupação com o futuro aumenta contratação de seguros em Uberlândia

Incerteza com a seguridade social incentiva a procura por serviços de previdência privada e saúde

BRUNA MERLIN
Seguradora UAI Brasil teve aumento de 16% nas vendas entre 2018 e 2019 | Foto: Divulgação
Preocupação com a seguridade social, incerteza do futuro e busca por planejamento são alguns dos fatores que incentivam os brasileiros a investirem em seguros. O efeito vem impactando as vendas em seguradoras de Uberlândia, que estão registrando aumento na contratação de serviços, principalmente de previdência privada e saúde.

É o caso da empresa MAG Seguros, que aponta um crescimento de mais de 65% na procura pelos serviços entre 2018 e 2019. Segundo o gerente do escritório em Uberlândia, Gabriel Ivo, todas as coberturas sofreram um aumento, mas as de previdência e saúde tiveram maiores resultados no período.

Gabriel acredita que a transformação está partindo dos jovens que estão mais interessados nesses produtos, que antigamente eram requisitados por pessoas mais velhas. “A mudança vem sendo percebida de uns 10 anos para cá. As pessoas estão mais preocupadas com o futuro que é incerto para a economia brasileira”, explicou o gerente.

Essa mesma perspectiva também é sentida na seguradora UAI Brasil em Uberlândia. De acordo com o sócio e diretor executivo da empresa, Mario Paulo de Oliveira, além dos seguros de vida, saúde e previdência, houve um aumento na contratação da cobertura patrimonial. De 2018 para 2019, a companhia teve uma adição de cerca de 16% na venda dos seguros.

“É um número muito grande se compararmos com alguns anos atrás. Hoje, os cidadãos estão mais informados sobre possibilidades que irão ajudá-los a complementar renda a longo prazo”, comentou Oliveira.

Transformação é positiva
Segundo o economista César Piorske, a preocupação dos brasileiros não chegou da noite para o dia e é causada por uma série de transformações institucionais no país, como as reformas trabalhista e previdenciária aprovadas em 2017 e 2019, respectivamente. Ele acredita que o efeito é positivo, pois cria uma responsabilidade natural dos cidadãos em investirem no futuro.

“As pessoas estão cada vez mais focadas em não depender da assistência social porque ela é incerta com a nova reforma, principalmente para os jovens. A seguridade social, como a saúde, é cada vez mais precária. Sendo assim, toda essa situação gera muita maturidade financeira mesmo que seja forçada”, disse César.

O economista explica que a sociedade brasileira é uma das que tem o desconto hiperbólico mais baixo do mundo, ou seja, os cidadãos não têm o costume de se preocuparem com o futuro financeiro pessoal. De acordo com César, esse comportamento está ligado a uma instabilidade econômica do país, que não gera oportunidades para investimentos e seguridade particular.

Ainda de acordo com César, a mudança não ocorreu porque houve aumento da renda dos cidadãos e sim porque é uma necessidade de se prevenir contra as questões governamentais que são incertas com o passar dos anos. “Quando temos a inseguridade social, consequentemente os cidadãos amadurecem e procuram outros meios para garantir o futuro como o investimento na previdência privada através de poupança e outros recursos”, finalizou ele.




















 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »