04/10/2019 às 13h44min - Atualizada em 04/10/2019 às 13h44min

Incêndio teria destruído 10% do parque estadual do Pau Furado

Levantamento prévio do IEF aponta 227 hectares queimados durante seis dias de ocorrência

VINÍCIUS LEMOS
Incêndio aconteceu no fim de setembro e durou seis dias | Foto: Aniceto Pereira
Cerca de 227 hectares do Parque Estadual do Pau Furado foram afetados pelo último incêndio na reserva em Uberlândia. Essa é a estimativa feita pela direção do parque em levantamento que está a ponto de ser finalizado, conforme informou a supervisão regional do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Ainda não foi possível determinar o que iniciou o fogo.

O Pau Furado hoje está na lista das 20 reservas do Programa de Concessão de Parques Estaduais e pode ser administrado por uma empresa nos próximos anos.

De acordo com o supervisor Regional do IEF, Carlos Luiz Mamede, o incêndio que destruiu parte da vegetação do parque no fim de setembro teria começado em uma estrada de acesso à cachoeira do Marimbondo. Entretanto não é possível dizer se esse fogo foi iniciado de maneira criminosa, acidental ou por negligência.

“Ele começou na área interna do parque numa área de muito trânsito e o clima e as condições favoráveis fizeram com que o incêndio tomasse as proporções que ele tomou. Nós estamos terminando o levantamento (de área queimada), mas estimamos os 227 hectares. Torço para ser menor, mas essa é a estimativa da direção”, disse.

Ainda segundo Mamede, a exatidão vai ser determinada nos próximos dias com sobrevoos de drone sobre o parque, visto que o local é de difícil acesso. Caso o levantamento prévio seja mantido, a área destruída representaria 10% de toda a reserva, que tem 2,2 mil hectares.

Para recuperar os prejuízos, o IEF conta com a estação chuvosa, prevista para iniciar na segunda quinzena de outubro, mas já elabora planos de ação. Segundo Mamede, existem processos de compensação ambiental que podem trazer parceiros para cumprirem medidas compensatórias.

“Um exemplo: uma empresa que realiza exploração precisa fazer compensação de áreas suprimidas através de plantios. Nós vamos puxar esses processos para dentro da unidade (Pau Furado)”, explicou o supervisor.  Há ainda a ideia de buscar o setor privado e entidades de ensino para desenvolverem campanhas e projetos de recuperação para o parque.
 
O INCÊNDIO
O incêndio durou seis dias e só foi controlado no dia 21 de setembro. Até o dia 23, brigadistas voluntários permaneceram na unidade para fazer o rescaldo e abertura de aceiros. Participaram dos trabalhos, brigadistas voluntários do parque, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, servidores do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e uma construtora que cedeu maquinário e um caminhão-pipa para o transporte de água.

Este foi o terceiro ano consecutivo que o parque enfrentou incêndios de grandes proporções. Em julho de 2017, o fogo atingiu cerca de 40% da reserva no perímetro de Uberlândia e o combate durou cerca de 48 horas. Em setembro de 2018, dois incêndios foram registrados na área. Um no dia 7, que atingiu 11 hectares da mata no perímetro de Araguari, e outro no dia 10, que atingiu uma área do Anel Viário Norte em Uberlândia.
 
CONCESSÃO 
O Parque do Pau Furado está incluído no Programa de Concessão de Parques Estaduais (Parc), cujo objetivo é, segundo o Governo Estadual, “contribuir para a inovação na gestão das áreas protegidas do Estado de Minas Gerais, atraindo investimentos, gerando empregos, ampliando os recursos humanos e financeiros a serem empregados na conservação ambiental e sensibilizando grande parcela da sociedade quanto à real importância de manutenção das áreas verdes”.

Dessa forma, a gestão da unidade ficaria por conta de uma empresa, a qual pagará uma taxa anual para o Estado, podendo explorar trilhas, lanchonetes, portaria e outros serviços, enquanto a gestão ambiental segue com o Governo, que também fiscalizará a concessionária. O valor a ser pago ainda depende de estudos de viabilidade econômica.

Existe a previsão que o processo do Pau Furado seja iniciado no segundo semestre de 2020.






 

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »