09/11/2017 às 05h49min - Atualizada em 09/11/2017 às 05h49min

Palácio dos Leões completa 100 anos com comemoração especial

Prédio inaugurado em 1917 e hoje tombado já foi sede da Prefeitura e da Câmara Municipal

VINÍCIUS LEMOS | REPÓRTER
Prédio foi tombado pelo patrimônio histórico em 1985 / Foto: Adreana Oliveira

 

Começam hoje (9) as comemorações pelos 100 anos de edificação do Palácio dos Leões, prédio que já abrigou a sede da Prefeitura e da Câmara dos Vereadores de Uberlândia e hoje recebe o Museu Municipal. A partir das 19h haverá apresentações musicais, praça de alimentação e discussões sobre a história do prédio. Apesar de haver uma agenda fechada, o evento desta quinta-feira, segundo a Secretaria de Cultura, será apenas o primeiro de uma série de outros encontros para celebrar o centenário do prédio.

A secretária Mônica Debs explicou que a importância das comemorações são maiores que apenas celebrar a idade de uma construção tombada como patrimônio histórico. “Comemorar esse centenário passa por dois aspectos: além do arquitetônico, há memórias de tudo que aconteceu no Palácio. Ali, foram feitas leis que regeram o Município”, afirmou.

As comemorações são abertas à população e começará com apresentação da Banda Municipal e da Orquestra Experimental de Uberlândia no espaço externo do Palácio. O repertório é especial e com ligação com a história do Palácio, da mesma forma que comidas típicas da gastronomia local serão comercializadas no local. Seguindo essa lógica, uma cervejaria da cidade vai produz uma cerveja especial com tâmaras, por conta das três tamareiras plantadas no entorno do prédio e que foram trazidas da Índia especialmente para o jardim na praça Clarimundo Carneiro. Durante o evento de hoje será conhecido o vencedor de um concurso no qual universitários da cidade enviaram desenhos autorais do palácio para se transformar no rótulo comemorativo da cerveja.

 

CARTILHA E SOLENIDADE

Durante as comemorações, será lançada a Cartilha Virtual do Museu, com conteúdo de pesquisa online que vai detalhar, por meio de fotos e textos, os estágios de evolução do monumento ao longo do século. Esse material poderá ser visualizado no portal da Prefeitura de Uberlândia (uberlandia.mg.gov.br) e será constantemente atualizado, de acordo com divulgação municipal.

A primeira agenda após o evento de hoje será uma Sessão Solene Especial do Poder Legislativo no Palácio dos Leões, a partir das 8h de sexta-feira (10). Os vereadores da atual legislatura voltarão à antiga sede da Câmara para a comemoração do centenário do local.

 

HISTÓRIA

Inaugurado em 1917, o prédio foi projetado pelo arquiteto paulista Cipriano Del Fávero e construído em 1916 juntamente com o Paço Municipal, em um terreno que, entre 1881 e 1915, abrigou um cemitério. Foi o primeiro prédio de dois andares da cidade e também abrigou a Coletoria Estadual, o Centro Agropecuário e a Biblioteca Pública Municipal. O Palácio dos Leões e o Coreto da praça Clarimundo são tombados como patrimônio histórico da cidade desde 1985.

 

Leia também:

- O centenário do Palácio dos Leões

 

REFORMA

Prédio foi restaurado em 1995

No ano de 1995, o Palácio dos Leões passou por uma grande restauração para que o Museu Municipal fosse instalado no local. O arquiteto Alessandro Rende, um dos responsáveis pelo projeto, disse que as condições da edificação na época eram ruins e que foi preciso fazer toda uma adaptação para as novas funções, ao mesmo tempo corrigindo problemas como fungo e umidade. As atuais cores do palácio foram definidas na época e esse foi o primeiro prédio público a respeitar as leis de acessibilidade da época. O resultado da restauração foi apresentado 1997 e junto do centenário Rende comemora os 20 anos do trabalho. “Mudou a cara da cidade. Queríamos que valorizasse todos os elementos do prédio”, afirmou. À época, a restauração foi premiada na 3ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

Alessandro Rende e o autor do trabalho de manutenção do prédio em 2011, Clayton Carilli, farão uma palestra nessa quinta sobre a importância da edificação. Ao mesmo tempo, estudantes de Arquitetura e Urbanismo de faculdades de Uberlândia terão fotos, desenhos, croquis e outras produções apresentadas ao público. Os três professores envolvidos no projeto também participarão de uma mesa-redonda relatando o passo a passo dos trabalhos. A equipe de uma das universidades entregará, ainda, uma maquete que descreve a cena urbana da praça Clarimundo Carneiro, que vai integrar o acervo de visita do Museu.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »