24/04/2017 às 09h00min - Atualizada em 24/04/2017 às 09h00min

O ‘melhor amigo’ agora tem ensaio fotográfico

Pet book é usado para registrar momentos naturais de cães e gatos de estimação, com ou sem o dono

Letícia Petruccelli
Da Redação
Nina é considerada parte da família e além do álbum, tem também redes sociais

Quando o negócio é família, as lentes de câmeras fotográficas costumam estar focadas em momentos como formaturas, gravidez, casamentos, aniversários e agora, também, focam em pets, cachorros e gatos. Eles são considerados parte da família e conquistam praticamente a todos que os encontram. O pet book, como é chamado o álbum de fotografia de animais de estimação, é uma forma de guardar os momentos desses seres que não vivem muito tempo, mas que concentram a atenção para si quando estão por perto. “Ter o álbum de fotografia profissional é bom para guardar os melhores momentos. Como minha cachorrinha Nina gosta muito de pessoas, ela posou para o álbum muito tranquilamente”, diz a consultora de desenvolvimento pessoal Lau Santangelo.

O ensaio fotográfico com os animais pode demorar mais de um dia inteiro. “Eu acho mais fácil fotografar pessoas do que animais, pois é mais rápido. É só falar para o ser humano sorrir ou fazer determinada pose, que a foto já é feita. Agora, com os animais não, é preciso ter paciência, eles são verdadeiros em tudo o que fazem”, diz o fotógrafo Marcos Ribeiro, que começou a fazer pet book em 2014. “Já sou fotógrafo há um bom tempo e comecei a fotografar meus animais por diversão mesmo. Sou apaixonado por animais, faço o trabalho por prazer mesmo”, diz.

Segundo Marcos Ribeiro, os valores do álbum de fotografia variam de R$ 500 a R$ 2.000. “Os preços mudam dependendo da forma como os clientes querem que o álbum seja feito. A sessão pode acontecer na casa do dono, ou em uma praça em que o cachorro esteja familiarizado, pois isso facilita o trabalho”, diz o fotógrafo. A auxiliar administrativo Luana Soares fez o trabalho quando sua labradora ainda era filhote, e diz que valeu a pena. “Ela cresceu e mudou muito depois que fiz o álbum, acho que foi um dinheiro bem pago. Amo ver e lembrar de como ela era quando filhote. Pretendo fazer um novo álbum em breve para registrar a vida adulta dela”, conta.

 Além das lentes profissionais, os animais também chamam a atenção das câmeras de celulares. A yorkshire Nina tem uma página na rede social Facebook e um perfil no Instagram. “Eu tenho nas redes mais de seis mil fotos dela, acho importante registrar tudo, pois ela faz parte da família. Mas uso as redes sociais dela também para promover ‘cãominhadas’ e outros eventos”, diz a dona da Nina, Lau Santangelo.

Agronegócio também atrai lentes 

 

Câmeras fotográficas também têm lentes voltadas para outro tipo de paixão, o agronegócio. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o agronegócio representou 49,6% das exportações totais do Brasil em 2016. Nos últimos anos, o setor vem se modernizando para aumentar a produção e atender as exigências do mercado. Isso atrai profissionais de outras áreas. “O cliente do agronegócio é um empresário que quer usar as imagens para vender produtos, isso já torna o ensaio bem diferente do convencional”, diz o fotógrafo Douglas Luzz. Ele comenta que este tipo de trabalho também possibilita apresentar ao público o potencial econômico que o Brasil possui no agronegócio. “Outra opção muito utilizada para fotografar grandes plantações ou rebanhos é a fotografia aérea, pois ela permite fazer belas imagens e dimensionar o potencial da estrutura disponível para investimento neste setor”, destaca.

Marcos Ribeiro já fez fotografias para o agronegócio e diz que tem muito cuidado quando se trata de animal de porte grande. “Para tirar fotos de vacas é preciso fazer muito barulho para chamar a atenção. Quando ela fica atenta, ela levanta a orelha e as melhores fotos são feitas”, conta Marcos Ribeiro.

Douglas Luzz diz que os valores para esse serviço são variados, depende de como o trabalho será usado pelo empresário. “O tempo da sessão também é bem variado, depende se é pecuária, lavoura”, relata o fotógrafo Douglas Luzz.

Imagens são utilizadas para uso comercial e em exposições

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »