09/04/2021 às 15h31min - Atualizada em 09/04/2021 às 15h31min

Vôlei agora pensa nos Jogos de Tóquio

ALBERTO GOMIDE
Divulgação
As seleções brasileiras de vôlei da temporada 2021 - que jogarão a Olimpíada de Tóquio (Japão) - começaram a ser formadas antes mesmo do encerramento das competições. Os primeiros convocados pelos técnicos José Roberto Guimarães (equipe feminina) e Renan Dal Zotto (masculina) já se apresentaram na segunda-feira (5), no Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).

Com relação às Superligas, para evitar que as duas competições fossem interrompidas, a CBV definiu com os clubes, a realização das semifinais e finais em Saquarema (Rio de Janeiro), no Centro de Desenvolvimento de Vôlei (DCV), servindo como uma espécie de “bolha de vôlei”, recebendo todos os playoffs feminino e masculino.

No time masculino, que ainda realiza as semifinais da Superliga, por enquanto, quatro atletas foram chamados: o levantador Cachopa, o oposto Alan, o central Isac e o ponteiro Rodriguinho, todos do Sada Cruzeiro, que não está mais na disputa da edição 2020/21 da Superliga. Os outros convocados sairão dos quatro semifinalistas (Minas Tênis Clube, Vôlei UM Itapetininga, EMS Taubaté e Vôlei Renata Campinas). A lista será completada após o encerramento da competição, que está nas semifinais.

O masculino começou as semifinais nesta quarta-feira (7), mostrando Vôlei UM Itapetininga (SP) 0x3 Minas Tênis Clube (MG) e EMS Taubaté Funvic (SP) 3x1 Vôlei Renata/Campinas (SP). A segunda rodada acontecerá neste sábado (10), e, se necessário, o 3º jogo será na segunda-feira (12).

No feminino, Zé Roberto chamou inicialmente jogadoras que não estavam na final, com Itambé/Minas Tênis e Dentil/Praia Clube Uberlândia. O treinador chamou as centrais Adenízia (Sesi Bauru), Bia e Mayany (ambas do Osasco), as líberos Camila Brait (Osasco) e Nyeme (São Paulo/Barueri), as levantadoras Dani Lins (Sesi Bauru) e Roberta (Osasco), as opostas Tandara (Osasco) e Lorenne (Sesc-RJ/Flamengo), a ponteira/oposta Rosamaria (Casalmaggiore, da Itália) e a ponteira Ana Cristina (Sesc-RJ/Flamengo). Esta última tem somente 16 anos e foi um dos destaques rubro-negros na temporada.

Encerrada a Superliga Feminina, Zé Roberto completa a lista de convocadas com as atletas de Itambé/Minas e Dentil/Praia. A CBV premiou, além das campeãs e vices, as melhores jogadoras da Superliga Feminina 2021. Da equipe uberlandense foram premiadas Fernanda Garay (melhor ponteira) e Carol (melhor central). As duas podem estar na Seleção Brasileira, para a Liga das Nações, como preparatória para os Jogos de Tóquio, principalmente Fernanda Garay (na foto, ao centro). Na temporada 2020/21, o Dentil/Praia disputou cinco competições e chegou às finais em todas elas, sendo campeão do Troféu Super Vôlei e da Supercopa.

A Superliga Feminina teve o Itambém/Minas novamente campeão, superando o Dentil/Praia na decisão do titulo. Antes, nas semifinais, o Dentil/Praia eliminou Osasco/São Cristóvão Saúde (SP) com vitórias de 3x2 e 3x0, enquanto o Itambé/Minas eliminou o Sesi Vôlei/Bauru também com duas vitórias, por 3x1 e 3x2. Na final, Dentil/Praia 3x1 e Itambé/Minas 3x1 nos dois primeiros jogos, e, no 3º jogo, chegaram a 2x2, com vitória do Minas Tênis no tie-break, superando mais uma vez o time praiano em decisões.

O primeiro desafio das seleções é a Liga das Nações, que será disputada em sistema de bolha sanitária na cidade de Rimini (Itália). A competição feminina ocorre entre 25 de maio e 20 de junho e a masculina de 28 de maio a 23 de julho. Renan e Zé Roberto aproveitarão a competição para observar atletas e definir os 12 nomes definitivos de cada equipe para os Jogos de Tóquio.
 
 

Este conteúdo é de responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Diário de Uberlândia.
Relacionadas »
Comentários »