08/02/2022 às 11h14min - Atualizada em 08/02/2022 às 11h14min

Operação combate facção criminosa suspeita de ataques contra policiais penais em Uberlândia e mais regiões

Ação conjunta cumpriu 17 mandados de busca e apreensão e sete de prisão no Triângulo Mineiro, Sul de Minas e São Paulo nesta terça (8)

DA REDAÇÃO
Uma ação conjunta entre as Polícias Civil e Militar de Minas Gerais, a 18ª Promotoria de Justiça e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) de Uberlândia resultou no cumprimento sete mandados de prisão temporária e de 17 dezessete mandados judiciais de busca e apreensão contra integrantes de uma facção criminosa que atuava em Uberlândia e Uberaba, além de outras cidades do Sul de Minas e em mais regiões do estado de São Paulo.
 
A iniciativa faz parte da 2ª fase da Operação KAVOD, que foi iniciada em 21 de novembro de 2021. As investigações tiveram como foco a identificação de integrantes de um grupo responsável por um ataque contra um policial penal, que ocorreu em 5 de novembro do ano passado. A tentativa de homicídio aconteceu no Bairro Dom Almir, zona leste de Uberlândia. Os criminosos roubaram um veículo e realizaram a tentativa de execução do policial utilizando armas de grosso calibre.
 
O inquérito resultou em uma denúncia contra 13 integrantes da facção, que foram alvos da primeira fase da operação. Na ocasião, foram desencadeadas diligências para cumprimento de 42 mandados de prisão e 35 mandados de busca e apreensão. Ainda de acordo com as investigações, após a primeira etapa, instaurou-se um novo inquérito, com o objetivo de apurar a responsabilidade de outros integrantes que ainda não haviam sido identificados.
 
Com o avanço das investigações, um suspeito natural do estado de São Paulo foi identificado e preso em Patrocínio/MG, em abril de 2021, portando armas e drogas. A perícia na arma de fogo identificou que o artefato havia sido utilizado pelos integrantes da facção na tentativa de homicídio ocorrida em Uberlândia.
 
Com base em novos elementos, outros dois suspeitos radicados em São Paulo, indicados como responsáveis pelo setor da facção que realiza ataques contra policiais penais, foram identificados. Os investigadores também chegaram a outros integrantes no Triângulo Mineiro e Sul de Minas.
 
De acordo com o primeiro levantamento, com as duas fases da operação KAVOD já foram identificados e presos preventivamente 16 integrantes da organização criminosa e outros seis continuam foragidos. Após as prisões realizadas nesta terça (8), o inquérito policial deverá ser concluído em trinta dias.
 
A ação teve participação das unidades paulistas do GAECO de São Paulo (capital), Ribeirão Preto e Santos, bem como das unidades mineiras do GAECO de Uberlândia, Uberaba, Passos e Pouso Alegre. Além de Uberlândia e Uberaba, as ações ocorreram nas cidades de Monte Santo de Minas (MG), Extrema (MG), Reginópolis/SP, Itapevi/SP e Praia Grande/SP.

VEJA TAMBÉM:
 
 
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »