29/12/2021 às 11h20min - Atualizada em 29/12/2021 às 11h20min

Presas denunciam policial penal por crime sexual em Uberlândia

Servidor favorecia a entrada de objetos proibidos em troca de 'favores sexuais' na penitenciária Professor João Pimenta da Veiga

DA REDAÇÃO
Ocorrência foi comunicada ao Ministério Público e ao Poder Judiciário | Foto: DIVULGAÇÃO
Duas presidiárias da penitenciária Professor João Pimenta da Veiga em Uberlândia apresentaram denúncias contra um policial penal por crime de violação sexual. Segundo informações obtidas pelo Diário, o servidor exigia que as presas mantivessem relações com ele em troca da permissão para entrada de objetos proibidos e sob a ameaça de prejudica-las.
 
Ainda segundo o boletim de ocorrência, a prática acontecia há aproximadamente 30 dias. O servidor propunha favores em troca de relações sexuais. As denúncias apontam que ele facilitava a entrada de objetos como joias, fumo, alimentos, cosméticos e um aparelho celular que era usado para manter contato com as vítimas.
 
De acordo com o depoimento das presas, o aparelho concedido era utilizado com o objetivo de que elas enviassem ao policial imagens delas nuas, fazendo insinuações sexuais. Segundo o depoimento, o servidor acariciava as vítimas e se masturbava próximo às celas.
 
Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que a direção da penitenciária instaurou um procedimento interno para apurar a conduta do policial penal. Esclareceu ainda que o servidor está afastado em virtude de atestado médico, mas responderá administrativamente.
 
As investigações criminais ficarão a cargo da Polícia Civil (PCMG). A ocorrência foi comunicada ao Ministério Público e ao Poder Judiciário. As duas presas foram encaminhadas ao hospital para atendimento médico, atendimento psicológico e exame de corpo de delito.
 
A delegada responsável pelo caso, Lia Valechi, disse que está aguardando laudos periciais para juntar ao inquérito.  

VEJA TAMBÉM:

Notícias Relacionadas »
Comentários »